fbpx

Monte Bravo patrocinará Aretha Duarte, primeira mulher negra e latino-americana a escalar o Everest

Após ganhar uma grande visibilidade em sua terra natal, Aretha conseguiu, enfim, patrocinadores que se inspiraram em sua história e objetivos

A Monte Bravo, principal empresa de assessoria credenciada à XP, anunciou neste mês que será patrocinadora de Aretha Duarte, montanhista e empreendedora socioambiental, que quer realizar um grande objetivo de vida: chegar ao topo do Monte Everest.

Com origem simples na periferia de Campinas, no interior de São Paulo, Aretha é a primeira de sua família a concluir um ensino superior. Formada em Educação Física, foi durante a faculdade que sua paixão pelo alpinismo surgiu e, com ela, o sonho grande de chegar ao topo da montanha mais alta do mundo.

A iniciativa #ArethaNoEverest começou em março de 2020, quando Aretha passou a colocar em prática a sua meta de vida. Para isso, porém, precisou passar por diversos obstáculos e desafios nesta caminhada.

Durante o último ano, ela se dedicou a um projeto focado em lixo reciclável em sua cidade, expondo a importância da coleta inteligente de resíduos reutilizáveis. Ela mesma recolhia os materiais que encontrava, dando um destino mais responsável.

A renda desta iniciativa foi de extrema importância para a realização do seu sonho grande. Afinal, ela precisava de ao menos R$ 250 mil.

Após ganhar uma grande visibilidade em sua terra natal, Aretha conseguiu, enfim, patrocinadores que se inspiraram em sua história e objetivos. Diversas empresas entraram em contato com a Aretha, acreditando na importância de transformá-la em um exemplo de vida.

E foi por acreditar no impossível, e mostrar como a sua perseverança é inspiradora, que a Monte Bravo enxergou os seus valores na jornada da montanhista. O sonho grande e a vontade de fazer a diferença na vida das pessoas fez com que a união se tornasse realidade.

Parceria com a Monte Bravo

Monte Bravo, principal empresa de assessoria de investimentos do país, acompanhou a trajetória da montanhista e ativista ambiental, traçando um paralelo com o objetivo da empresa para os próximos anos.

Com valores em comum, os sócios-fundadores Pier Mattei e Filipe Portella encontraram uma oportunidade de fazer parte desta história, ajudando a Aretha nos principais desafios internacionais e econômicos que ela irá enfrentar durante a expedição ao Everest.

É uma honra poder fazer parte desta jornada tão nobre como a da Aretha. Ela possui uma história inspiradora e que vai muito além de subir o Everest.”, comenta Portella.

Fazer a diferença na vida das pessoas, com um sonho grande por trás, são os fatores que ligam as duas partes.

Muito além de uma montanha

Quando começou a executar o seu grande sonho, o seu comprometimento com a responsabilidade ambiental e social passou a ficar cada vez mais forte.

A ideia é transformar este sonho em algo muito maior: uma inspiração para que mais pessoas possam ter a oportunidade de realizar os seus próprios objetivos de vida. Também um objetivo em comum com a Monte Bravo.

Aretha comenta, também, que esse é só o começo. Ela falou mais sobre o assunto: “O projeto está muito maior que o topo da mais alta montanha do mundo.

Eu entendo que essa é a minha missão aqui, não quero e não vou parar, eu tenho certeza que todos os recursos alcançados são por conta desta decisão: gerar transformação e impacto social positivo.”.

Passos após o Everest

Aretha pontua que escalar o Monte Everest é apenas um passo para realizar o seu sonho. Após voltar da expedição, a montanhista pretende continuar com o seu ativismo ambiental, sempre focando no lado social e educacional.

Desde que chegou ao Himalaia, no Nepal, lançou uma campanha para incentivar a separação de materiais derivados de metal. A ideia é juntar o maior número de resíduos possível durante a sua jornada ao Everest, para que assim, após retornar ao Brasil, dar um fim digno ao lixo reciclável.

Todo o dinheiro arrecadado com esta campanha será revertido a um centro de treinamentos de escalada, localizado na periferia de Campinas.

Para mim só fez e faz sentido essa minha luta do Aretha No Everest pelos resultados socioambientais que estão sendo gerados. O cume do Everest é apenas o primeiro passo do projeto.”, comenta Aretha.

Ela ainda completa o raciocínio sobre o seu futuro: “Tenho certeza que se a gente garantir acesso às oportunidades teremos uma sociedade nivelada pra cima, exemplar. Eu represento a classe periférica, os negros, as mulheres. Que eu seja um exemplo de milhares de casos de sucesso. Ampliemos. Trabalhemos para ampliar isso.”.

Importante: A publicação acima é um conteúdo patrocinado, sendo que a Infostocks Informações e Sistemas Ltda. (“InfoMoney”) não tem qualquer responsabilidade pelo conteúdo e informações disponibilizadas, não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações, não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. O autor ou empresa responsável pelo conteúdo estão indicados na própria publicação.

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais