fbpx

Morte por Covid-19 teve diagnóstico inicial como ataque de pânico – Mundo

Pixabay

Infectada pela Covid-19 chegou a apresentar progresso depois de dar entrada no hospital

Morreu ontem, 27, nos Estados Unidos a professora Rana Zoe Mungin, de 30 anos, em decorrência à Covid-19
. Mesmo apresentando sintomas da doença, como febre e falta de ar, um médico do pronto-socorro a diagnosticou com “ataque de pânico”. Rana tinha comorbidades como asma e hipertensão, o que a colocava no grupo de risco.

A mulher chegou a procurar atendimento hospitalar duas vezes, quando os sintomas decorrentes ao novo coronavírus
ainda não eram tão graves. Em ambas as ocasiões, foi dispensada antes de apresentar progresso. A irmã de Rana, Mia, é enfermeira e insistiu que a irmã fosse propriamente atendida.

Além da insinuação de que estaria tendo um ataque de pânico, outro médico negou realizar testes porque não haviam muitos disponíveis para todos os pacientes. Ela só deu entrada em um hospital no dia 20 de março, quando seu quadro já estava ruim. Ela precisou de ventilador e foi entubada.

Rana chegou a evoluir. Os médicos tentaram dispensar o ventilador para verificar como a mulher poderia reagir, mas não resistiu. Em seu perfil no Twitter, sua irmã afirmou que ela tentou lutar, mas o corpo já estava fraco.

Fonte: Google News

Jornais Virtuais