fbpx

MSCI adiciona Via Varejo e exclui brMalls do seu índice; saiba como isso vai afetar as ações

(Getty Images)

SÃO PAULO – O Morgan Stanley Capital Internacional (MSCI) Barra excluiu de seu índice brasileiro dentro do Global Standard as ações da brMalls (BRML3) e colocou os papéis ordinários da Via Varejo (VVAR3) no lugar. Essa revisão será realizada no fechamento do pregão do dia 31 de agosto e entra em vigor a partir da primeira sessão de setembro.

Uma alteração como essa gera oportunidades de investimento muito interessantes, uma vez que os índices MSCI são utilizados como referência para diversos fundos passivos de investimento ao redor do mundo.

Na prática, isso quer dizer que quando a composição da carteira de um índice MSCI muda, os fundos que o seguem precisam comprar ou vender ações para se adequar.

Leia mais: CEOs de Marfrig, Eletrobras, MRV, Via Varejo e outras grandes empresas comentam os resultados do ano em lives no InfoMoney

Por causa dessa mudança de agosto, fundos passivos nacionais e internacionais que têm o MSCI Brazil Index como referência precisarão vender ações da brMalls e comprar papéis da Via Varejo. Como esses fundos movimentam muito dinheiro, haverá pressão compradora nas ações que entram no índice e vendedora nos que saem.

A equipe de análise do Morgan Stanley calcula que o rebalanceamento gere uma pressão compradora com volume equivalente à média de meio dia de negociação das ações VVAR3, ou US$ 146 milhões. Já a brMalls sofreria uma pressão de vendas equivalentes à média de 1,8 dia de negociação dos papéis BRML3, ou US$ 53 milhões.

Por outro lado, houve revisão também no MSCI Global Small Caps, sendo que brMalls entrou na carteira e Via Varejo foi excluída. O índice, no entanto, tem peso menor que o Global Standard.

Mesmo com as mudanças, o peso de ações de empresas da América Latina no MSCI Global Standard se manterá em 7,9%. Já a fatia individual de cada país da região dentro do MSCI EM Latin America Standard Index ficará como segue: Brasil com 65,1%, México com 21,1%, Chile com 7%, Peru com 3%, Colômbia com 2,2% e Argentina com 1,6%.

Curso gratuito do InfoMoney ensina como lucrar na Bolsa fazendo operações que podem durar poucos minutos ou até segundos: inscreva-se!

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!