fbpx

Mudanças de ares! Veja como o Brusque achou seu rumo na Série D

A opção por rever conceitos fez parte da caminhada do Brusque até, enfim, alcançar um acesso que era esperado há 31 anos. Mesmo com a equipe, que na semifinal da Série D duelará com o Ituano, neste domingo, no Novelli Júnior, se mantendo na elite catarinense, a diretoria não pestanejou ao depositar suas fichas em novidades, com direito a mudar de técnico pela terceira vez na temporada:

– A gente já vinha há alguns anos batendo na trave. E, depois do Campeonato Catarinense, fizemos uma reformulação completa, inclusive na comissão técnica. O Waguinho Dias tinha feito uma boa campanha com o Tubarão e já contabilizava campanhas boas com o Marcílio Dias e o Inter de Lages, times modestos daqui. Achamos que ele seria uma boa opção – contou, ao LANCE!, o diretor de futebol Carlos Beuting.

A equipe (que antes teve Paulo Baier e Marcelo Canharato no comando) ainda contou com jogadores que “mudaram a cara” do Bruscão. Fio trouxe maior velocidade à partida, enquanto Junior Pirambu tornou-se o artilheiro da equipe (a ponto de brigar pelo posto de goleador da Série D).

Passado o acesso, o técnico Waguinho Dias não esconde o desafio da semifinal:

– Eu acredito que deva ser o duelo mais difícil. A equipe do Ituano manteve-se em alto nível mesmo depois da disputa do Paulistão e não conseguiu o acesso à toa.

‘TENTEI EXTRAIR O MÁXIMO DOS JOGADORES’

‘Intensidade desde o início’, diz Waguinho (Divulgação Brusque)

Encarregado de comandar uma equipe que desembarcou desacreditada no Grupo A15, Waguinho Dias reconheceu que teve desafios pela frente:

– É um clube que tem suas limitações. A gente treina em um CT modesto, tive que recuperar atletas. Mas tentei extrair ao máximo dos jogadores. Já sabia que podia contar com o Fio e o Romarinho, que vieram comigo, mas confiava em uma reação do Jefferson Renan, pois sei que ele é bom no enfrentamento, na quebra de linhas.

Coube ao treinador passar ao Bruscão um pouco de sua experiência. A equipe venceu cinco dos seis jogos na primeira fase.

– Esta é minha terceira Série D. Sabia que precisaríamos ter intensidade boa desde o início. E foi assim que vi a equipe logo contra o Foz, quando começamos perdendo, mas soubemos virar para 2 a 1. São coisas que nos deram tranquilidade – e complementou ao falar sobre os confrontos decisivos:

– Foi assim que seguramos depois eliminamos o Hercílio Luz, passamos por jogos difíceis como os contra o Boavista e soubemos tirar a desvantagem de 1 a 0 que tínhamos para o Juazeirense, com direito à goleada por 4 a 0.

DE ALDEVAN A JÚNIOR PIRAMBU: A CURIOSA HISTÓRIA DO ‘9’ QUADRICOLOR

‘Passei 15 dias com R$ 25’ (Divulgação Brusque)

A reviravolta também marcou a trajetória da grata surpresa do Brusque na Série D: Júnior Pirambu. Artilheiro da competição, com oito gols, o atacante anteriormente atuou como jogador de vôlei:

– São boas lembranças, porque foi no tempo de ensino médio. Cheguei a jogar na Seleção Sergipana em vários campeonatos nacionais. Ficaram ótimas lembranças na minha vida – diz o ex-atleta de vôlei Aldevan, ao LANCE!.

A troca das quadras pelos gramados ocorreu graças a um bom conselho:

– Meu amigo Pedro Costa, secretário de Esportes (de Pirambu), que é ídolo no futebol sergipano, me viu jogar e me propôs a mudança.

Contudo, a adaptação foi muito além de trocar o nome de Aldevan para Junior ‘Pirambu (apelido que ganhou por sua cidade natal). O atacante revelou um percalço com o qual conviveu:

– No início, eu passei 15 dias com R$ 25 e treinava com a chuteira do meu irmão. Só que ele calçava 42, e eu calço 43…

O atacante chamou atenção da diretoria após ter ido bem no Estadual pelo Metropolitano.

– Já tinha pensado em trazê-lo antes no Estadual, mas tínhamos centroavantes no elenco. Só que, para a Série D, veio a chance e ele vem correspondendo bem – diz Carlos Beuting.

O treinador Waguinho Dias demonstra confiança no camisa 9 do Bruscão:

– Pirambu é uma oessoa com objetivos caros na vida. Número 9 tem de ser o artilheiro. Quando entrar em campo, tem de dar uma virada a cada partida.

Pirambu reconhece que, agora, está mais visado:

– É uma responsabilidade maior, mas estou feliz com este momento. Vou fazer o que sempre faço e dar à equipe o melhor possível.

ARENA HAVAN: UM SONHO AO HORIZONTE

Divulgação Brusque

O Brusque agora acalenta um sonho de proporções maiores: a construção de seu estádio próprio. Dono da Havan, Luciano Hang manifestou o desejo de construir uma arena para o clube quadricolor:

– Ele é brusquense e, além de a Havan vir nos dando suporte neste tempo todo, já disse publicamente sobre construção da arena. Foi divulgado até um projeto de estádio que saiu inclusive na própria mídia. Acho que, agora, com o nível de exigência da Série C, este projeto sairá – confia o diretor de futebol Carlos Beuting.

Atualmente, o clube treina em um CT alugado, o Carlos Renaux, e manda seus jogos no Estádio Augusto Bauer. O técnico Waguinho Dias espera melhorias no clube:

– A cada nova divisão, a cobrança e as responsabilidades ficam maiores na parte técnica. Espero que o Brusque tenha ainda maior adesão de sócio-torcedores também.

Enquanto isto, o Bruscão volta suas atenções para o duelo deste domingo:

– Existe foco e determinação para uma grande partida, até porque sabemos da grande equipe que é o Ituano – diz Júnior Pirambu.


Lance!

  • separator

Fonte: TERRA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!