Não perca tempo! Gabarito preliminar Esfcex História Gabarito preliminar Esfcex História

Olá pessoal, comentei a prova e sugiro aqui um gabarito preliminar Esfcex História. Nas últimas edições ocorreram anulações na disciplina de História (2017 -duas 2018 -uma) e este ano podemos ter uma devido a um duplo gabarito na questão 21. Então sem delongas, ao trabalho !

15. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) Durante o período colonial brasileiro, as atividades econômicas que mais se destacaram foram a agromanufatura açucareira e a mineração. A respeito dessas atividades, assinale a afirmativa correta.

A) Na zona açucareira, os escravos urbanos gozavam de maior liberdade do que na zona mineira, uma vez que podiam ser artesãos, vendedores, carregadores, escravos do ganho ou escravos de aluguel para tarefas diversas, atividades incompatíveis com as da mineração.

B) A procura pela mão de obra negra africana nos engenhos contradiz a tese que afirma ser o tráfico negreiro o gerador da escravidão de africanos, ou seja, que a oferta teria precedido a procura.

C) Com a expansão da mineração, deu-se, nesse período, uma drástica redução da escravidão negra na região Sudeste, uma vez que se passou a empregar, nessa área, exclusivamente, o trabalho de mineiros livres, ou seja, de imigrantes portugueses.

D) Um dos efeitos da mineração foi o surgimento de uma larga rede urbana nas zonas das minas e o crescimento do tamanho e de importância de São Salvador, porto de abastecimento das minas, de saída do ouro e capital colonial, até a chegada da Corte portuguesa, em 1808.

E) No século XVII, o Sudeste do Brasil se transformou em região típica de plantations açucareiras, que se assentavam, sobretudo, no trabalho de escravos africanos comprados aos holandeses que dominavam a região Nordeste.

Gabarito:

No nordeste açucareiro não existiam escravos urbanos, somente rurais, pois estes só surgiram com a urbanização espontânea produzida pelo ciclo do ouro, então escravos urbanos (também chamados de escravos de ganho, só no século XVIII). Rede urbana é um conceito referente à integração das cidades e na colônia a ligação era muito precária. Não contradiz a tese pois. Já existia um grande comércio de escravos que precedeu a colonização portuguesa, no entanto os primeiros engenhos funcionaram com escravos indígenas. Existia uma demanda interna por escravos africanos, que estimulou e estendeu o comercio de escravos de Portugal. Dominavam economicamente o Nordeste e desde a invasão em dominaram diretamente o território.

Gabarito E

16. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) Na América portuguesa, em consequência da ofensiva francesa e do declínio do trato asiático, foram tomadas em 1534 medidas para o povoamento e a valorização do território.

(ALENCASTRO, Luiz Felipe de. O Trato dos Viventes: formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 20).

As medidas mencionadas na afirmativa acima referem-se aos sistemas de administração que Portugal empregou no Brasil no século XVI. Em ordem cronológica, a partir de 1534, tais sistemas foram

A) Feitorias e Governo Geral.

B) Capitanias Hereditárias e Governo Geral.

C) Governo Geral e Feitorias.

D) Governo Geral e Capitanias Hereditárias.

E) Feitorias e Capitanias Hereditárias.

As feitorias eram fortalezas no litoral que além da defesa do território também armazenavam produtos como madeira e africanos escravizados. Não geraram povoamento do território e estavam mais ligados a marcar a presença portuguesa no território, que de colonizar efetivamente o território, o que somente aconteceu a partir de 1530 com a expedição de Martim Afonso de Souza. Em 1534 foram criadas as capitanias hereditárias, que dividiam do litoral à linha de Tordesilhas em 15 faixas. Devido à descentralização administrativa, dificuldades de contato e a forte resistência indígena. Em 1548 para centralizar as capitanias foi criado o Governo Geral e a primeira capital estabelecida em Salvador.

Gabarito: B

17. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) A respeito da ocupação territorial da Capitania de São Vicente e do contato dos portugueses com os nativos, analise as afirmativas a seguir:

I. Ao chegarem a São Vicente, os primeiros portugueses, reconhecendo de imediato a importância fundamental da guerra nas relações intertribais, procuraram tirar proveito delas para efetivarem a ocupação da terra.

II. Considerando o estado de unidade política que imperava no Brasil indígena, as perspectivas de conquista, dominação e exploração passariam por alianças forjadas por rivalidades que não havia entre os nativos, o que levaria ao rompimento de sua unidade e, consequentemente, à sua total aniquilação.

III. Aos olhos dos invasores, a presença de um número considerável de prisioneiros de guerra prometia um possível mecanismo de suprimento de mão de obra cativa para os eventuais empreendimentos coloniais.

IV. Os índios percebiam vantagens imediatas na formação de alianças com os europeus, particularmente nas ações bélicas conduzidas contra os inimigos mortais.

Assinale

A) se apenas as afirmativas I, II e III estiverem corretas.

B) se apenas as afirmativas II, III e IV estiverem corretas.

C) se apenas as afirmativas I, III e IV estiverem corretas.

D) se apenas as afirmativas I, II e IV estiverem corretas.

E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

Gabarito: C

Um dos mecanismos de colonização usados pelos portugueses foi a manipulação das guerras intertribais. O Brasil indígena era tribal e não existia uma unidade política entre as diversas tribos. Aos olhos do colonizador sem dúvida o indígena foi visto como mão de obra que poderia ser escravizada e os indígenas lutaram contra os europeus em algumas ocasiões e aliaram-se a eles em outras.

18. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) Duas linhas de interpretação surgiram já nos primeiros anos: a dos vencedores e a dos vencidos, a dos republicanos e a dos monarquistas, aos quais vieram juntar-se com o tempo alguns republicanos que, desiludidos com a experiência, aumentaram o rol dos descontentes, exaltando as glórias do Império e ressaltando os vícios do regime republicano.

(COSTA, Emília Viotti da. Da monarquia à república: momentos decisivos. – 6.ed. – São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999, p. 387).

O texto acima refere-se ao contexto da Proclamação da República no Brasil e, nele, a autora faz menção aos diversos argumentos republicanos de então.

A esse respeito, assinale a afirmativa INCORRETA.

A) Os republicanos procuravam atenuar os males do Império afirmando que advinham menos do imperador e muito mais da estrutura monárquica montada que o levou a ser, ao mesmo tempo, o seu maior representante e também a sua maior vítima.

B) Os republicanos traziam à tona as revoluções e pronunciamentos a partir da Inconfidência Mineira, afirmando que a República sempre fora uma aspiração nacional e que a Monarquia era uma anomalia na América, repleta de repúblicas.

C) Criticando a centralização excessiva do governo monárquico e a fraude eleitoral que possibilitava ao governo vencer sempre as eleições, consideravam a República a solução natural para os problemas, sendo efetivada por um grupo de homens idealistas e corajosos que conseguiram integrar o país às tendências do período.

D) As arbitrariedades, os abusos do Poder Moderador, a manutenção da escravidão, a má gestão financeira e as guerras externas foram usadas como fatores da progressiva impopularidade da monarquia.

E) Alguns republicanos afirmavam que a democracia no Brasil tivera origens étnicas no povoamento, e a Proclamação da República fora fruto da constituição etnográfica, da transição para um regime de trabalho agrícola e industrial, da propaganda republicana, da corrupção política e da deficiente administração do Império.

A proposta da questão é muito interessante ao explorar como os Republicanos viam a monarquia e os seus argumentos contra ela. Na forma como foi construída a questão, a resposta mais provável é a alternativa A, no entanto a alternativa D suscita algumas discussões: A visão quanto a família real e a escravidão era uma visão tipicamente republicana e positivista da época, que viam a escravidão e a monarquia como sinônimos de atraso. Não atenuaram em nada a critica ao império que foi profundamente atacado em todos seus aspectos.

Gabarito: A

19. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) As críticas feitas na Europa pelo pensamento ilustrado ao absolutismo assumiram no Brasil o sentido de críticas ao sistema colonial. No Brasil, Ilustração foi, antes de mais nada, anticolonialismo.

(COSTA, Emília Viotti da. Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999, p. 26).

O texto acima faz alusão aos movimentos anticoloniais de fins do século XIX.

A respeito do contexto histórico daquele período, analise as afirmativas a seguir:

I. Criticar a realeza e o poder absoluto dos reis significava lutar pela emancipação dos laços coloniais.

II. Os estudantes que viajavam para o exterior, completando seus estudos em Portugal ou na França, voltavam imbuídos das novas ideias e se tornavam seus principais propagandistas.

III. Nem as prisões, nem os exílios, nem os enforcamentos foram capazes de deter a marcha do processo. Em vão a censura intentava impedir a divulgação das ideias nocivas à ordem vigente.

IV. A Inconfidência Mineira, que tinha propostas igualitárias, contava com a possibilidade de um levante de escravos, já que o número de homens pretos, livres e escravos superava em muito o dos brancos; por isso, contava com a composição de um exército popular.

V. Os líderes da Conjuração Baiana, membros das elites agrárias, não permitiram que setores populares se integrassem ao movimento, limitando seus ideais aos aspectos emancipacionistas.

Assinale

A) se apenas as afirmativas I, III e V estiverem corretas.

B) se apenas as afirmativas II e IV estiverem corretas.

C) se apenas as afirmativas III, IV e V estiverem corretas.

D) se apenas as afirmativas I, II, IV e V estiverem corretas.

E) se apenas as afirmativas I, II e III estiverem corretas.

Todas as proposições estão corretas exceto a [V], pois a conjuração baiana foi republicana, abolicionista e teve grande participação popular.  

Gabarito: E

20. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) Durante o Período Regencial, ocorreram reformas que ficaram conhecidas como uma “experiência republicana”, mas que acabaram por desatar forças até então contidas pelo unitarismo imperial. Por quase todo o período eclodiram revoltas populares que procuraram alterar a ordem política e social estabelecida.

A respeito dessas revoltas, iniciadas, exclusivamente, no Período Regencial, é correto afirmar que

A) a Cabanagem, revolta ocorrida no Pará, reuniu índios, escravos e pobres insatisfeitos com a retirada da autonomia popular existente na região pelas assembleias gerais provinciais, criadas pelo Ato Adicional à Constituição de 1834.

B) a Revolução Farroupilha ou Guerra dos Farrapos, iniciada no Rio Grande do Sul, sem a participação das elites, foi motivada pelo sentimento republicano e igualitário dos setores populares, insatisfeitos com a criação da Guarda Nacional, em 1831, da qual foram impedidos de participar.

C) a Sabinada, desencadeada na Bahia entre 1837 e 1838, foi uma revolta republicana liderada por Francisco Sabino, que pretendia unir as forças populares ao levante dos maleses, negros islamizados, que se revoltavam desde 1834.

D) a Balaiada, ocorrida no Maranhão e no Piauí, reuniu setores populares, como camponeses, vaqueiros e escravos, liderados pelo fabricante de cestos Manuel Francisco e o negro Cosme Bento.

E) a Rebelião Praieira, que eclodiu em Pernambuco entre 1848 e 1849, foi um movimento de cunho nitidamente social, com forte sentimento antilusitano, tendo sido assim denominada devido ao fato de a sede do núcleo revoltoso se situar na rua da Praia.

O período regencial foi de 1831 até 1840 e foi quando a unidade territorial do país esteve em risco devido as diversas revoltas separatistas e populares. A insatisfação dos cabanos era principalmente contra a grande pobreza da população amazônica. A farroupilha ocorreu devido a insatisfação dos fazendeiros gaúchos contra isenções fiscais dadas ao charque argentino. A Revolta dos Malês foi um levante de escravos islamizados que tomou Salvador em 1835 e a Sabinada foi da elite local que não reconheceu a regência e proclamaram uma República Provisória, até a coroação de Dom Pedro II. A Revolução Praieira ocorreu no Segundo Reinado em 1848.

Gabarito: D

21. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) Durante a República Velha, o presidente Campos Sales criou as bases para a implantação de um tipo de política que predominou do seu governo à Revolução de 1930: a Política dos Governadores. Tal política consistiu em

A) uma troca de favores entre os executivos federal e estaduais no sentido de garantir a permanência no poder dos mesmos grupos oligárquicos que se apoiavam mutuamente.

B) uma política de intervenções nos estados que não apoiassem a proposta de governo federal, baseada na manutenção do poder concentrado nas mãos dos militares, no combate à corrupção e na diminuição da desigualdade social.

C) uma alternância das oligarquias paulista e mineira no poder federal; por isso mesmo, ela também ficou conhecida como política do café com leite.

D) um acordo entre as oligarquias cafeeiras e o governo federal no sentido de se assegurar a intervenção estatal na cafeicultura brasileira, de modo a promover a elevação dos preços do produto e, assim, assegurar os lucros dos cafeicultores.

E) um pacto político feito entre Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba, apoiando a candidatura de políticos desses estados à presidência da República até as eleições de 1930.

Na república o poder somente esteve nas mãos dos militares durante o governo de Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. A política de valorização do café que consistia na compra e na queima do produto pelo governo federal está diretamente ligado à grande influência dos paulistas no governo. A aliança entre MG, PB e RS ocorreu após o rompimento do pacto oligárquico pelo presidente Washington Luis, que deveria ter indicado um mineiro, no entanto indicou um paulista.   A República do Café com leite foi com ficou conhecido o arranjo político entre MG (a maior bancada no congresso) e SP (a maior economia do país), que surgiu devido à política dos governadores, que justamente consistia no apoio dos estados à elite política vigente no poder federal (no caso MG e SP) através da troca de favores. Temos aqui uma possibilidade de recurso por duplo gabarito. Vejamos qual será a interpretação e posicionamento da Banca.

Gabarito: A/C

22. (EsFCEx – Exército Brasileiro – CFO/QC / 2019) A eleição presidencial brasileira de 1985 foi a última ocorrida de forma indireta, por meio de um colégio eleitoral, sob a égide da Constituição de 1967. Nesse pleito, a vitória coube à Aliança Democrática, que, em síntese, foi

A) um pacto político, firmado por Tancredo Neves e Aureliano Chaves, vice-presidente do país, no sentido de se garantir, na disputa à presidência, apoio e votos para o primeiro em troca de participação do segundo no futuro governo.

B) um acordo entre os partidos da oposição moderada para impedir que os partidos da esquerda lançassem candidatos às eleições.

C) uma aliança política entre o PDS, partido do governo, e os partidos de oposição para assegurar que o regime militar não fosse alvo de qualquer investigação.

D) uma aliança dos partidos de oposição contra o “Acordo de Minas” – pacto político que garantiria a supremacia de Minas Gerais no novo cenário que se desenhava.

E) uma aliança feita entre o PMDB, principal partido da oposição, e a Frente Liberal, grupo formado por dissidentes do partido do governo, o PDS, em torno da candidatura da chapa Tancredo Neves/José Sarney.

Apesar da comoção popular pela realização de eleições diretas, a de Tancredo e Sarney foi indireta. Para bater seu adversário, o paulista Paulo Maluf, Tancredo teve de se acertar com setores governamentais hostis à candidatura situacionista, como o maranhense José Sarney, que abandonou a presidência do PDS, carregando consigo uma dissidência numerosa de parlamentares. Seu grupo fundou o Partido da Frente Liberal, enquanto ele se filiava ao PMDB para se tornar o vice na chapa do mineiro, ajudando a assegurar a vitória. A contagem final: 480 votos a favor contra 180, com dezessete abstenções. 

Gabarito: E

É isso aí pessoal! Bons estudos e foco no sucesso!

Créditos:

Estratégia Concursos

Acesse o material completo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: