Não perca tempo! Saiba como identificar os 4 principais tipos de texto!

O assunto do artigo de hoje é de suma importância para a sua preparação para concursos públicos. A tipologia textual está presente tanto nas provas de língua portuguesa quanto nas redações.

Iremos apresentar as principais características de cada tipologia textual
para evitar que você caia em pegadinhas durante a sua prova.

1- Qual é a diferença entre a Tipologia Textual e o Gênero Textual?

Resolvemos iniciar o artigo já trazendo uma das dúvidas mais comuns: a
diferença entre tipologia textual e gênero textual.

O Gênero Textual está
relacionado a um contexto histórico e cultural e são diversos os exemplos, como
uma carta, e-mail, receita culinária, telefonemas, etc.

Por outro lado, a Tipologia Textual se relaciona com a estrutura, o conteúdo e a forma como um texto se apresenta, e os quatro principais tipos que abordaremos são os seguintes:

  • Narração;
  • Dissertação;
  • Descrição; e
  • Injunção.

Depois de conhecer melhor a diferença entre tipo e gênero textual, vamos ver as características de cada uma das quatro principais tipologias textuais.

2- Narração

Tipologia Textual – Narração

A narração é uma tipologia textual muito conhecida. Trata-se, de maneira singela, de uma história contada por um narrador, a qual é construída em torno de um ou mais personagens, em um determinado local e em um determinado tempo.

Ao ler uma narrativa, sempre encontraremos uma sequência lógica sendo apresentada
para o seu leitor.

Em um primeiro momento, há uma introdução, apresentando os personagens, o lugar em que ocorre a história e em que tempo.

Após o momento introdutório, essa tipologia textual apresentará uma situação conflitante, momento em que
normalmente há o suspense. E, assim, a narrativa chega em um momento de clímax, no qual costuma
prender a atenção do leitor pelo desfecho do enredo.

Por fim, há o desfecho da história, encerrando o suspense apresentado no decorrer da narrativa.

3- Dissertação

Dissertação - tipologia textual
Dissertação – tipologia textual

A dissertação é extremamente utilizada no dia a dia. Trata-se de uma tipologia textual que objetiva expor, analisar e defender uma tese ou ponto de vista acerca de um determinado assunto.

Além disso, essa é a tipologia mais cobrada em provas de vestibulares e concursos públicos, pelo fato de explorar a fundo o conhecimento do examinando. Numa dissertação, o aluno terá que organizar, em estruturas lógicas, um texto apresentando seu ponto de vista a respeito de um determinado assunto.

Por conta dessas características, a linguagem utilizada nessa tipologia textual costuma ser objetiva e com baixíssimo grau de pessoalidade, uma vez que o objetivo não é o autor, mas sim o assunto que está sendo explorado.

Por isso, é muito comum ouvirmos falar que a dissertação é dividida em três estruturas lógicas: a introdução, o desenvolvimento e uma conclusão.

Vamos entender um pouco de cada etapa!

Na introdução, o autor apresenta o tema objeto da dissertação, e introduz, de maneira singela, seu ponto de vista.

Já no desenvolvimento, há a exposição dos argumentos, a fim de comprovar a tese introduzida pelo autor no início do texto, fundamentando todo o seu ponto de vista.

Por fim, temos a conclusão, na qual encerra-se o tema, trazendo
uma síntese dos fatos expostos no decorrer da dissertação.

4- Descrição

Descrição - tipologia textual
Descrição – tipologia textual

A terceira tipologia textual é a descrição. Nesses tipos de textos, o autor se coloca na posição de mero observador e explica como é determinada coisa. Há a exposição de uma opinião ou sentimentos.

Normalmente, a partir da descrição, é possível que o leitor crie, em sua mente, uma imagem do que está sendo descrito. É muito comum vermos forte presença dos cinco sentidos durante o texto, com marcante descrição de tato, audição, visão, olfato e paladar.

5- Injunção

A última tipologia textual que abordaremos é a injunção. Esses textos apresentam comandos ou instruções ao seu leitor, podendo ser com viés de ordem ou conselho, mas sempre buscando controlar a ação do interlocutor utilizando-se, para tanto, da forma imperativa.

Costumeiramente vemos a presença de uma
linguagem muito mais objetiva e direta.

Como exemplos dessa tipologia textual, temos as bulas de remédios, receitas culinárias, e até mesmo os editais de concursos públicos.

É isso, pessoal! Espero que tenham gostado do nosso breve resumo sobre as diversas tipologias textuais!! 🙂 Fique atento, pois esse assunto é sempre muito cobrado em questões de provas e concursos.

Abraços,

Décio Terror

P.S: Veja também meu artigo sobre Regência Verbal e Nominal.

Como estudar para concursos

Como estudar para o ENEM

Concursos 2019

Concursos Abertos

Créditos:

Estratégia Concursos

Acesse o material completo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: