fbpx

Nos 86 anos de Sophia Loren, relembre 5 dos papéis mais icônicos da estrela italiana – Notas – Glamurama

Sophia Loren || Créditos: Reprodução

Em uma de suas últimas aparições em grande premiação de Hollywood, na entrega dos Globos de Ouro de 2010, Sophia Loren roubou a cena ao desfilar pelo tapete vermelho do evento. Mas nem todos reconheceram a bela da telona italiana na ocasião, como foi o caso de Louisa, filha de Meryl Streep. “Quem é ela?”, perguntou a herdeira da diva americana da telona. “Ela, meu bem, é uma estrela de cinema de verdade”, Streep respondeu.

Caso raro de atriz que foi alçada ao posto de ícone da sétima arte, Loren – que completa 86 anos nesse domingo – não atua desde 2009, quando interpretou a personagem Mamma no musical “Nine”, de Rob Marshall. Mas ela continua em alta, sendo constantemente referenciada por seus pares como exemplo a ser seguido. Streep, aliás, é fã dela de carteirinha, assim como Nicole Kidman e Julia Roberts, só pra citar as mais mais.

Com 10 indicações ao Globo de Ouro e 5 vitórias, além de duas indicações ao Oscar e uma estatueta, Loren eternizou seu nome e imagem em longas que marcaram época e são lembrados como obras-primas. Glamurama aproveita a deixa do aniversário dela para relembrar 5 dessas produções. (Por Anderson Antunes)

Créditos: Reprodução

“Duas Mulheres”, de 1960

Co-produção entre a Itália e a França, o filme de Vittorio De Sica mostra Loren no papel de Cesira, uma viúva que mora em Roma com a filha. Ambientada nos anos da Segunda Guerra Mundial, tem roteiro assinado por De Sica e Cesare Zavattini e é considerado até hoje como um dos melhores filmes sobre o conflito que mudou a história do mundo. Loren ganhou um Oscar de Melhor Atriz pelo papel, que ajudou a popularizá-la nos Estados Unidos.

Créditos: Reprodução

“Ontem, Hoje e Amanhã”, de 1963

A parceria entre Loren e De Sica foi repetida na comédia que também contou com a participação estrelada de Marcello Mastroianni. Nela, a atriz vive uma vendedora de cigarros contrabandeados que, para escapar da prisão, precisa estar sempre grávida. A situação é particularmente constrangedora para o marido dela, Carmine, que é interpretado por Mastroianni. Loren faz um striptease em cena que deu o que falar na época, ao mesmo tempo que a catapultou ao posto de sex symbol.

Créditos: Reprodução

“Arabesque”, de 1966

Já estabelecida em Hollywood, Loren dividiu os créditos nesse suspense em que fez dobradinha com Gregory Peck. O filme foi dirigido por Stanley Donen e é baseado no romance “The Cypher”, de Gordon Cotler. Com uma trama cheia de mistérios que envolve até hieroglifos arábicos, foi um sucesso de público e de crítica, além de estar há anos na lista dos revivals mais desejados pela turma de Hollywood.

Créditos: Reprodução

“O girassol”, de 1970

De Sica chamou Loren e Mastroianni mais uma vez para dirigi-los no filme que escolheu gravar em Moscou. Ela interpreta a mulher de um soldado italiano vivido pelo astro igualmente icônico que lutou por seu país durante a guerra e some sem deixar vestígios, e é basicamente a história sobre sua procura pelo amado. Para muitos, trata-se do melhor momento de Loren ao longo de toda a carreira.

Créditos: Reprodução

“Dois Velhos Mais Rabugentos”, de 1995

A comédia de Howard Deutch combinou o talento de Loren com os da dupla Walter Matthau e Jack Lemmon. Todos já em idade de aposentadoria, ao menos para os padrões hollywoodianos, fizeram o maior sucesso com o público, apesar de que os críticos não gostaram muito do que viram. Para Loren foi uma forma de se apresentar para as novas gerações, depois de anos sem trabalhar.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.4&appId=1409357522615229″;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Glamurama

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!