fbpx

Novos tratamentos para 15 doenças da vida moderna

Os avanços tecnológicos e a era digital garantiram facilidades para a vida moderna, mas, junto com as mudanças, trouxeram também consequências para a saúde.

Professora longe da sala de aula: Uma professora que se sente insegura para realizar suas atividades no trabalho. É assim que Márcia Almeida Sant’Anna, 59, se sente. Depois de passar em dois concursos públicos, ela não consegue mais lecionar por causa de sintomas de ansiedade e depressão. “Estou há anos fazendo tratamento. Não consigo passar do portão da escola, às vezes. Já tentei voltar, mas não consigo. Já tive crise em sala de aula, e é muito complicado. Hoje, tenho medo de tudo. É uma luta para sair de casa”, salientou. (Foto: Antonio Moreira/ AT)

Com a agitação, o estresse do dia a dia e a má alimentação, casos de doenças como depressão, ansiedade, miopia, enxaqueca e até infarto aparecem com mais frequência. Mas, a cada ano, chegam ao mercado mais novidades em tratamentos para essas doenças da modernidade.

Junto com laboratórios e médicos, A Tribuna fez um levantamento de novidades para tratar 15 doenças da vida moderna. Entre as inovações estão medicamentos, aparelhos e técnicas cirúrgicas.

Um exemplo é a nova técnica desenvolvida no Espírito Santo para a cirurgia para cauterizar (tipo de queimadura) o local da arritmia cardíaca do tipo fibrilação atrial.

Segundo o arritmologista Fabrício Vassalo, esse é o tipo de arritmia mais comum no mundo e, por causa dos maus hábitos e o estresse, a estimativa é que, em 15 anos, mais de 3% da população mundial desenvolvam a doença.

De acordo com a oftalmologista Klícia Molina, do Hospital de Olhos de Vitória, os olhos também estão sendo prejudicados pelos maus hábitos da vida moderna.

“Na área da oftalmologia, três importantes problemas estão acometendo muita gente hoje. São a miopia, a síndrome do olho seco e as degenerações retinianas, que, geralmente, são ocasionadas pela luz azul dos celulares. E há novidades no mercado para as três doenças”.

Hoje, o estresse faz parte da vida moderna e a pele é uma das partes do corpo mais afetadas por isso, segundo a dermatologista Patrícia Friço. “O estresse aumenta a oleosidade, propiciando maior presença da bactéria da acne, por exemplo”.

Os médicos ressaltam que é importante consultar um especialista, avaliar o caso e saber se as novidades são indicadas.

Spray nasal para tratar depressão

Mais de 320 milhões de pessoas no mundo são diagnosticadas com algum grau de depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

De acordo com dados do órgão, a depressão é a principal causa de problemas de saúde e incapacidade em todo o mundo e, em alguns casos, é necessária a prescrição de medicamentos.

A novidade para as pessoas que sofrem de depressão resistente é um spray nasal de escetamina.

O medicamento já foi aprovado pela agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês). No Brasil ainda não tem data para ser comercializado, mas a expectativa é que esteja no mercado em dois anos.

De acordo com a farmacêutica Janssen, que está buscando a liberação do medicamento no Brasil, a escetamina é um modulador do receptor NMDA do glutamato, que ajuda a restaurar as conexões nas células cerebrais em pessoas com transtorno depressivo maior.

De acordo com a psiquiatra Monique Ribeiro, a estimulação magnética transcraniana e terapia com infusão de cetamina também trazem benefícios inovadores para pacientes com esse transtorno.

Segundo o médico especialista em dor crônica André Félix, a depressão contribui muito para o agravamento de outras doenças e mortalidade, inclusive para pacientes com dores crônicas.

“Embora existam tratamentos eficazes para a depressão, mais da metade das pessoas afetadas em todo o mundo não recebem esses tratamentos”.

Outra doença que também é agravada pelo estresse e pode prejudicar o dia a dia é a enxaqueca. Segundo a Fundação de Pesquisa sobre Enxaqueca Americana, é uma doença neurológica e a terceira enfermidade mais prevalente no mundo.

Em março, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo tratamento para enxaqueca. O Pasurta da Novartis, é um injeção que contém erenumabe, que bloqueia os receptores do peptídeo relacionado com os genes de calcitonina (CGRP), responsável por desencadear crises de enxaqueca.

A neurologista Soo Yang Lee destacou que os inibidores do CGRP são uma nova classe de medicamentos para enxaqueca crônica que vem mostrando bons resultados.

A insônia também tem se tornado um problema frequente, de acordo com a pneumologista e especialista em sono Jéssica Polese.

“É um problema que vem aumentando com a crise econômica, a preocupação com o desemprego e o futuro”.

 (Foto: Acervo Pessoal)

(Foto: Acervo Pessoal)

Gatos, cão e tartaruga como apoio

A instabilidade profissional, a pressão social e familiar e a dificuldade de relacionamento fizeram com que uma publicitária de 33 anos, que prefere não se identificar, desenvolvesse depressão, ansiedade e síndrome do pânico.

“Tenho problemas de ordem emocional há cerca de 10 anos, mas eles se intensificaram muito em 2015, por causa da profissão. Quando as crises de pânico começaram, vieram também as de ansiedade. Não conseguia sair de casa, fazia xixi nas calças por achar que tudo de errado ia acontecer comigo”, contou.

Hoje, ela faz tratamento com psiquiatra, psicólogo e toma medicamentos. Para ajudar a se levantar todos os dias, ela disse que adotou três gatos, um cachorro e uma tartaruga.

 (Foto: Jornal A Tribuna)

(Foto: Jornal A Tribuna)

 (Foto: Jornal A Tribuna)

(Foto: Jornal A Tribuna)

 (Foto: Jornal A Tribuna)

(Foto: Jornal A Tribuna)

 (Foto: Jornal A Tribuna)

(Foto: Jornal A Tribuna)

Fonte: Google News

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!