fbpx

O valor da TV além do que se vê nas telas

TV Neo QLED QN900A, da Samsung (Divulgação)

Diante das transformações que a pandemia lançou ao mundo, uma delas está mais clara do que nunca: a importância que a tecnologia alcançou em nossas vidas, nos permitindo trabalhar, estudar, socializar e até relaxar um pouco em um cenário mais restrito de deslocamento e interação social.

Essa nova rotina provocou reflexões internas em todos nós, e não foi diferente com as empresas de tecnologia. Ao aceitar este protagonismo tecnológico em suas vidas, os consumidores criam também uma forma de se relacionar com o setor. Demandam um propósito mais amplo de atuação das empresas líderes de cada categoria, que vai além da qualidade e inovação de seus produtos e serviços.

A rápida adoção da internet criou uma via bilateral de comunicação entre empresas e consumidores. Se por um lado permitiu às companhias avanços expressivos na segmentação e identificação de perfis de interesse, deu também voz aos consumidores em relação ao posicionamento das marcas em assuntos que não necessariamente estão ligados a seu setor de atuação. Certamente há muito “ruído” nestes canais, mas saber ouvir os recados certos e refletir sobre eles é cada vez mais crucial, principalmente em nosso mercado.

Empresas de tecnologia sempre buscam a liderança no mercado em que atuam, que lhes permita criar uma rede maior de usuários em sua plataforma de produtos ou serviços, para que esta predomine sobre as demais. Entretanto, não há liderança sustentável sem entregar uma boa experiência de produtos e serviços.

Liderar deve ser mais do que ser o primeiro ou o melhor, mas estabelecer um compromisso constante pela busca da inovação em todos os aspectos de uso dos produtos, resumidos em três pilares: tecnologia, estilo de vida e sustentabilidade/acessibilidade.

Gostamos de inovação, e nos adaptamos facilmente aos novos ciclos tecnológicos. O alto número de adesão às redes sociais no Brasil comprova isso. Recentemente, em grandes lançamentos de Smart TVs, vimos o lançamento da nova tecnologia de telas de Mini LED, que proporcionam a melhor relação de brilho e contraste do mercado, sem desgaste de cores e efeito de retenção de imagens (efeito burn in). Fato que inovou também na relação entre telas da TV e Smartphones, permitindo uma conectividade mais fluida entre ambos aos aparelhos, bem como aperfeiçoamento de recursos para o crescente público gamer.

Ter produtos inovadores é melhorar a vida das pessoas, principalmente neste conhecido espaço que redescobrimos recentemente: a nossa casa é o desdobramento de nossa personalidade, e notamos uma crescente demanda por personalização de produtos que traduza os variados estilos de vida dos consumidores. A fusão entre tecnologia e estilo pessoal é uma tendência atual que deve crescer cada vez mais.

A inovação e a personalização também devem caminhar na direção da sustentabilidade e acessibilidade. É fundamental que os fabricantes estejam atentos às principais pautas ambientais, utilizando materiais recicláveis e reciclados e cuidando melhor do descarte de substâncias e materiais.

Vimos, por exemplo, embalagens de TVs que passaram a ser utilizadas como ferramenta de marketing para que possam ser reutilizáveis, transformando-se em móveis, de brinquedos para as crianças ou até casas para animais de estimação.

E não podemos deixar ninguém para trás. É necessária a inclusão de recursos especiais que permitam que portadores de deficiências visuais ou auditivas possam também usufruir da qualidade de imagem e áudio de TVs.

Em um mundo em constante mudança, estabelecer um propósito mais amplo de atuação das marcas é fator crítico de sucesso para as organizações. Ainda há muito a fazer. Entregar um valor além do que os consumidores veem nas telas dever ser a ambição dos fabricantes. Inovar sempre para uma vida melhor, em qualquer lugar e para todos.

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais