fbpx

Oi deve ter até dia da assembleia para decidir sobre venda de ativos; You Inc. cancela IPO, balanços de Marcopolo, Itaú e mais

(Foto: Reprodução)

SÃO PAULO – O noticiário corporativo tem como destaque a disputa pela negociação dos ativos da Oi, com o fim do acordo de exclusividade com a Highline. A temporada de resultados também segue em destaque, com dados de Itaú Unibanco e Marcopolo. Entre os IPOs, a You Inc. decidiu cancelar sua abertura de capital. Confira os destaques:

Segundo informa o jornal O Globo, a companhia Oi deve seguir com as duas propostas que recebeu para vender sua operação de telefonia móvel. Segundo fontes ouvidas pelo jornal, a Highline, da gestora americana Digital Colony, e o grupo formado por Claro, Vivo e TIM seguem na disputa pela divisão de linhas de celulares da tele carioca.

Na última segunda-feira, terminou a exclusividade nas negociações com a Highline, enquanto Claro, TIM e Vivo apresentaram proposta de R$ 16,5 bilhões pela Oi Móvel, um valor acima da oferta feita pela Highline. Assim, o consórcio passa, agora, também a fazer parte das negociações. Segundo o jornal, a tele vai negociar com os dois grupos sendo que, até então, a Oi não podia analisar a oferta das rivais brasileiras.

Com isso, a decisão sobre a venda de ativos pode ser decidido até o dia da assembleia de credores da Oi, que deve ocorrer em meados de agosto no Rio de Janeiro.

Vale ressaltar que, na véspera, em meio à expectativa pelo fim do acordo de exclusividade com a Highline, as ações da Oi tiveram forte queda.

Banco do Brasil (BBAS3)

Em resposta a ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o Banco do Brasil informou que cabe ao presidente da República a nomeação do presidente da instituição, e “que até o presente momento não houve qualquer comunicação formal do acionista controlador sobre o efetivo exercício dessa prerrogativa pela Presidência da República”.

Bradesco (BBDC3;BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3)

Os sócios da bandeira Elo (Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) querem fazer o IPO da marca, segundo reportagem do jornal “O Estado de S.Paulo”.

O principal interessado nessa operação seria a Caixa, que também quer fazer o IPO de sua subsidiária de meios de pagamento, a Caixa Cartões. No entanto, o Bradesco é o acionista maior da Elopar, que controla a Elo, e por isso preciso ser convencido sobre o IPO.

Atualmente, a estrutura acionária é composta por 56,9% da Elopar, uma joint venture entre Bradesco e Banco do Brasil, pela Caixa com 36,9% e pelo Bradesco diretamente com 6,1%. “Nossa visão é que, a depender de preço, pode ser positivo para destravar valor dos bancos e ficar menos exposto a um segmento com risco de disrupção tecnológica”, avalia a XP.

Após o Banco Central divulgar uma nota liberando os testes do WhatsApp Pay, desde que não sejam executadas operações reais com usuários, a Comissão de Valores Mobiliários (CMV) questionou a Cielo, adquirente parceria do aplicativo na operação de pagamentos, sobre a execução dos testes com a nova plataforma no mercado.

A empresa informou que a nota diz respeito aos acordos entre o regulador e as instituidores de arranjo de pagamento e que não participa destas discussões, “das quais não foi formalmente notificada”, segundo informações do jornal Valor Econômico.

A Cielo reforçou que continua seguindo o que informou ao mercado, por meio de comunicado em 24 de junho, quando o BC determinou a suspensão das operações com a utilização do WhatsApp Pay, cujo dono é o Facebook. Leia mais clicando aqui. 

O IRB comunicou ao mercado que os acionistas Bradesco Seguros S.A., por meio de sociedade de seu grupo econômico, e Itaú Seguros S.A. realizaram aporte de recursos, no montante de, aproximadamente, R$ 600 milhões, no âmbito de aumento do capital social via subscrição privada da companhia.

Um aumento do capital social de até R$ 2,3 bilhões foi aprovado no último dia 8 de julho pelo conselho de administração da resseguradora, e contribuirá para o reenquadramento da companhia aos critérios definidos pela Susep para cobertura de provisões técnicas e margem adicional de liquidez regulatória.

O aporte de Bradesco Seguros e Itaú Seguros é consequência da subscrição e integralização de ações decorrentes do exercício de direitos de subscrição, uma vez haviam se comprometido a acompanhar o aumento em suas participações proporcionais no capital do IRB, de cerca de 15,4% e 11,3%, respectivamente.

“O anúncio, apesar de já esperado devido a anúncios anteriores, pode ser bem percebida por investidores, uma vez que reforça a presença dos bancos na resseguradora”, destaca a XP Investimentos.

Itaú Unibanco (ITUB4)

O Itaú Unibanco registrou um lucro líquido recorrente, que exclui itens pontuais, foi de R$ 4,2 bilhões, queda de 40% na mesma base de comparação. Já o lucro líquido foi de R$ 3,4 bilhões no segundo trimestre do ano, uma queda de 49,8% na comparação com igual período de 2019. Veja mais clicando aqui. 

O principal motivo para esse tombo no resultado foram as despesas para devedores duvidosos (PDD), que chegou a R$ 7,77 bilhões, alta de 92% em 12 meses, mas recuo de 23% em relação ao trimestre anterior.

O índice de inadimplência (atrasos acima de 90 dias) diminuiu 0,4 ponto percentual no trimestre, para 2,7%. As receitas com tarifas registram queda de 7,4%.

O resultado ficou em linha com as projeções dos analistas compiladas pela Bloomberg, de R$ 4,255 bilhões, em meio a um aumento de 71,6% na comparação anual na provisão para devedores duvidosos, ficando em R$ 7,561 bilhões. O valor, no entanto, é menor do que os R$ 10,398 bilhões que haviam sido reportados no trimestre anterior.

Contudo, algumas linhas chamaram a atenção – negativamente – no balanço. “Embora os resultados gerais tenham chegado como esperávamos, a combinação de uma queda de NIM [margem financeira sobre os ativos rentáveis] dos clientes, taxas/seguros mais baixos e uma queda abaixo da média nas inadimplências e nos custos pode estar abaixo das expectativas dos investidores”, destaca Marcel Campos, analista da XP Investimentos (confira o relatório clicando aqui).

Marcopolo (POMO4)

A Marcopolo teve lucro líquido R$ 5,4 milhões, queda de 93,7% frente os R$ 86,3 milhões registrados em igual período de 2019, com a pandemia do coronavírus diminuindo a receita, que teve queda de 30,1% na receita líquida, a R$ 798,5 milhões. A receita com vendas no Brasil teve baixa de 43%, a R$ 356,3 milhões; já a receita no exterior teve baixa de 30%, para R$ 194,5 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) teve baixa de 61,3%, a R$ 40,9 milhões, com a margem indo de 9,2% para 5,1%.

De acordo com o Credit Suisse, os resultados foram muito fracos, o que levou o banco suíço a cortar a recomendação para underperform (desempenho abaixo do mercado), com preço-alvo sendo reduzido de R$ 4,20 para R$ 2,50.

“Acreditamos que a empresa e seus clientes continuarão enfrentando dificuldades financeiras, uma vez que não teremos ainda uma vacina que permita a normalização da mobilidade e resolva as preocupações sanitárias com o transporte público”, avaliaram, em relatório, os analistas da instituição financeira.

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio registrou um prejuízo de R$ 76,013 milhões no segundo trimestre do ano, ante R$ 156,6 milhões em igual período de 2019.

A receita total da companhia foi de R$ 312,292 milhões, uma queda de 43% no comparativo anual. Já o Ebitda subiu 16%, para R$ 289,173 milhões. A margem chegou a 93%.

A PetroRio ainda anunciou que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) aprovou o termo aditivo ao contrato de concessão relativo ao Campo de Tubarão Martelo. Com esta deliberação, a PetroRio passa a ser a operadora do Campo, com participação de 80%.

Segundo a companhia, a aquisição gera sinergias significativas entre Polvo e Tubarão. Com a cessão, os custos dos dois campos agregados, que em 2019 ultrapassaram US$ 200 milhões por ano, serão reduzidos para aproximadamente US$ 120 milhões.

You Inc.

Já a construtora You Inc decidiu cancelar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Segundo a companhia, o cancelamento deveu-se à atual conjuntura do mercado.

A empresa, que deveria fixar o preço da ação nesta terça-feira, planejava levantar cerca de R$ 1 bilhão e usar os recursos para continuar projetos habitacionais em desenvolvimento.

Na semana passada, outra construtora, Riva 9, subsidiária da Direcional Engenharia, também cancelou seu IPO.

O grupo Soma, dono das grifes Animale e Farm, tem 33 marcas de moda consideradas como oportunidades de aquisição, mas apenas 5 ou 6 realmente são avaliadas como possíveis marcas estratégicas para compra no curto prazo, segundo reportagem do jornal “Valor Econômico”.

Neste grupo, uma minoria pertence à Inbrands, a empresa de moda mais afetada pela crise, e à Restoque, em recuperação extrajudicial.

O grupo Soma pretende gastar em aquisições 47% dos recursos líquidos captados na oferta pública inicial de ações concluída no fim de julho. Isso equivale a pouco mais de R$ 600 milhões, com base nos dados do prospecto da oferta.

Multiplan (MULT3) e B2W (BTOW3)

A Multiplan e a Delivery Center fecharam parceria com B2W. O acordo tem o objetivo de integrar as lojas dos shopping centers da Multiplan às plataformas de varejo online da B2W, segundo comunicado ao mercado. A integração dos processos é conduzida pela Delivery Center, empresa sócia da Multiplan desde 2019, que atua na combinação do varejo online ao físico.

“Vemos o anúncio como positivo para a companhia, cuja rede de lojistas poderá se beneficiar da tendência crescente do consumo online, além de estar alinhado com a estratégia de integrar os diferentes canais”, aponta a XP Investimentos.

Ecorodovias (ECOR3)

A Ecorodovias divulgou uma nova parcial do volume de tráfego em suas concessões, dessa vez levando em conta o período entre os dias 16 de março e 2 de agosto.

O movimento de veículos pesados e de passeio caiu, nesse período, 16,9% na comparação com igual período do ano passado (tráfego de 114,6 milhões de veículos). Os maiores recuos ocorreram na Ecopistas, que administra o corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto (queda de 36,5%), e na Ecoponte, que liga o Rio ao litoral norte fluminense (recuo de 34,2%).

No acumulado do ano, a queda no volume do tráfego é de 7,5%, com 192,1 milhões de veículos pagamentes no período.

A JSL informou que comprou por R$ 159,4 milhões uma fatia de 75% da Fadel Holding, empresa do setor de logística que presta serviços de distribuição urbana, logística dedicada de cargas rodoviárias e logística interna.

Metade do valor da aquisição será pago à vista e outra metade em seis meses. O valor poderá subir em R$ 13,7 milhões de acordo com determinadas metas.

No ano passado, a Fadel apresentou receita líquida de R$ 372 milhões, com lucro líquido de R$31 milhões.

Segundo a JSL, entre os benefícios da aquisição estão a maior participação no segmento de distribuição urbana de bebidas e alimentos e a ampliação da carteira de clientes.

Setor de saúde

E sobre a pandemia do novo coronavírus, a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) informou que as drogarias de todo o país já fizeram 370 mil testes rápidos para a Covid-19.

Segundo a associação, 1.676 farmácias do país oferecem o serviço, a maior parte no sudeste. Dos testes realizados, 14,40% deram positivo.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Aprenda a fazer trades com potencial de ganho de R$ 50 a R$ 500 operando apenas 10 minutos por dia: inscreva-se gratuitamente na Semana dos Vencedores

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!