fbpx

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira

(Shutterstock)

Os investidores tentam deixar o sentimento de aversão ao risco de lado nesta quinta-feira. Apesar da preocupação com a aceleração dos casos do novo coronavírus em alguns países, as Bolsas europeias viraram e agora operam levemente em alta. Já os futuros de Nova York ainda operam em terreno negativo.

No Brasil, o destaque é a aprovação, na quarta-feira à noite, do projeto do novo marco regulatório para o setor de saneamento básico, que segue para a sanção presidencial.

Ainda em Brasília, segue a discussão para a prorrogação do auxílio emergencial.

1. Bolsas mundiais

Os investidores tentam deixar o sentimento de aversão ao risco de lado nesta quinta-feira. Apesar da preocupação com a aceleração dos casos do novo coronavírus em alguns países, as Bolsas europeias viraram e agora operam levemente em alta. Já os futuros de Nova York ainda operam em terreno negativo.

O EuroStoxx sobe 0,41% e o DAX, de Frankfurt, 0,91%. O índice alemão sobe com a disparada de mais de 15% das ações da Lufthansa após o maior acionista da companhia aérea mostrar apoio ao plano de recuperação da empresa.

Apesar da alta nas Bolsas, paira no ar a preocupação de que, com novos casos de Covid-19, a recuperação da economia global será menos rápida que o esperado. Os casos do novo coronavírus somam 9,5 milhões no mundo e o número de mortes já passa dos 485 mil.

“O mercado realmente se assustou com a perspectiva de um grande aumento da Covid. Começaram a ver fechamento dos lugares que estavam abrindo, pressionando a economia e diminuindo as perspectivas para o mercado de ações”, disse, à Bloomberg, Margie Patel, gerente de portfólio da Wells Fargo Asset Management.

Em Nova York, os futuros do Dow Jones têm leve queda de 0,16% e os do S&P 500 registram leve desvalorização de 0,12%.

As novas notificações de Covid também preocupam nos Estados Unidos. Em Houston (Texas), as autoridades informaram que as unidades de tratamento intensivo estão próximo de sua capacidade. Os casos também mostraram aceleração na Califória e Flórida.

Na Ásia, o Nikkei 225, de Tóquio, recuou 1,22%. Já o índice Sanghai SE teve leve alta de 0,30% e o Hang Seng Index, de Hong Kong, caiu 0,50%.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h42

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), -0,23%

*Nasdaq Futuro (EUA), +0,01%

*Dow Jones Futuro (EUA), -0,33%

Europa

*Dax (Alemanha), +0,27%

*FTSE 100 (Reino Unido), -0,15%

*CAC 40 (França), +0,20%

*FTSE MIB (Itália), +0,17%

Ásia

*Nikkei 225 (Japão), -1,22% (fechado)

*Hang Seng Index (Hong Kong), não operou (feriado)

*Shanghai SE (China), não operou (feriado)

*Petróleo WTI, -0,89%, a US$ 37,67 o barril

*Petróleo Brent, -0,52%, a US$ 40,10 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian tiveram alta, cotados a 771.000 iuanes, equivalente hoje a US$ 109,02 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 7,0724 (+0,20%)

**Não houve negociação dos contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian devido ao feriado chinês.

*Bitcoin, US$ 9.218, -3,67%

2. Agenda

O Banco Central divulga o relatório de inflação do trimestre. O RTI projeta um PIB de 2020 com queda de 6,4%, ante estimativa de estabilidade em março e projeta IPCA do ano em 1,9% em um cenário de juros e câmbio constantes.

“O RTI reforça a nossa expectativa de mais um corte de 25bps na reunião de agosto, levando a taxa Selic para 2,00% a.a.. Por ora, nossa projeção é de que a Selic seja mantida nesse patamar até o segundo semestre de 2021, quando o ciclo de normalização deve ter início”, destaca a XP Investimentos.

O diretor de política econômica, Fabio Kanczuk, comenta os dados às 11h.

O BC também divulga, às 9h30, os dados sobre crédito e política monetária referente ao mês de maio. Já o IBGE publica, às 9h, o IPCA-15. O Conselho Monetário Nacional se reúne nesta quinta e pode definir uma meta de inflação inferior a 3,5% ao ano para 2023, segundo aponta a Bloomberg.

Nos Estados Unidos, às 9h30 (horário de Brasília), será divulgada a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre. Na primeira leitura, a retração foi de 5%.

No mesmo horário, serão divulgados os dados sobre pedidos de seguro-desemprego e pedidos de bens duráveis.

Na agenda do InfoMoney, o Zero ao Topo receberá nesta quinta-feira Sérgio Fischer, CEO da LOG Commercial Properties, na série especial sobre gestão de negócios em tempos de crise. O tema será “O papel da logística na pandemia”. A live será às 15h30 no Youtube do InfoMoney.

Às 17h, o economista e professor Alan Ghani responderá às perguntas: quais são os riscos da renda fixa hoje? Em um contexto de epidemia de coronavírus, retração econômica e eleições presidenciais nos Estados Unidos, qual a volatilidade que o investidor deve esperar de suas aplicações de renda fixa? O programa também será transmitido no Youtube do InfoMoney.

3. Auxílio emergencial

O Palácio do Planalto quer acelerar o Renda Brasil, programa que deve substituir o Bolsa Família. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a avaliação do governo é que o auxílio emergencial de R$ 600 deu sustentação ao presidente Jair Bolsonaro nas classes mais pobres.

Inicialmente, o auxílio seria de R$ 200, mas foi elevado após a medida provisória ser submetida ao Congresso Nacional. Há uma pressão de aliados para que o auxílio seja prorrogado, o que não agrada a equipe econômica. O anúncio do Renda Brasil seria uma forma de reduzir essa pressão.

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos, chegou a anunciar em sua conta no Twitter, nesta quinta-feira pela manhã, a prorrogação do auxílio por mais três parcelas que iriam sendo reduzidas gradativamente (R$ 500, R$ 400 e R$ 300). A postagem, no entanto, foi retirada do ar poucos minutos após sua publicação.

4. Eleições

O adiamento das eleições municipais foi aprovado no Senado, mas a proposta de emenda constitucional (PEC) encontra dificuldades para ser aprovada na Câmara dos Deputados, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ver alertando que não há consenso entre os deputados, em especial entre as bancadas do MDB, PP, PL, DEM, Republicanos e PSL, que somam 216 votos de um total de 513. Para ser aprovada, a PEC precisa de três quintos dos deputados (308 votos) em dois turnos de votação.

Conforme o texto aprovado no Senado, o primeiro turno seria adiado de 4 de outubro para 15 de novembro. O segundo passaria de 25 de outubro para 29 de novembro.

5. Panorama corporativo

No cenário corporativo, o destaque é a aprovação, na noite de quarta-feira, do marco legal do saneamento básico.

A medida, em tese, deve estimular investimentos privados no setor e a possível privatização das estatais que atuam nesse segmento, o que pode estimular as ações das que possuem ações listadas em Bolsa, como Copasa e Sabesp.

Já entre as empresas mais afetadas pela crise causada pela pandemia do novo coronavírus, a Gol espera finalizar um acordo com o governo federal.

A ideia é que o governo compre até R$ 100 milhões em passagens da companhia aérea como forma de ajudar o grupo a atravessar os efeitos da crise. Além disso, a expectativa é que o BNDES conclua até a próxima semana o pacote de apoio financeiro, que para a Gol deve ser de R$ 2 bilhões.

Já a Cielo aprovou programa de recompra de até 2,59 milhões de ações. E a Engie Brasil reportou lucro líquido de R$ 512 milhões no primeiro trimestre, abaixo dos R$ 615,4 milhões esperados.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos: aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!