fbpx

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quinta-feira

As bolsas europeias e os futuros de Nova York operam em alta nesta quinta-feira impulsionados pela expectativa dos dados de emprego nos Estados Unidos na véspera do feriado e pelos avanços do desenvolvimento de uma vacina para o novo coronavírus.

O dado mais esperado do dia é a divulgação, às 9h30 (horário de Brasília), do relatório de emprego nos Estados Unidos. É esperada a criação de cerca de 3,06 milhões de vagas novas.

No Brasil, a Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira o adiamento das eleições municipais de 2020. Pelo texto aprovado, o 1º turno ocorre em 15 de novembro e o segundo, em 29 de novembro.

Sobre as notícias corporativas, a Sabesp prorrogou a isenção da cobrança de tarifas para os consumidores de baixa renda e a Ânima anunciou mais uma aquisição.

1. Bolsas mundiais

As Bolsas europeias e os futuros de Nova York operam em alta nesta quinta-feira impulsionados pela expectativa dos dados de emprego nos Estados Unidos e pelos avanços do desenvolvimento de uma vacina para o novo coronavírus.

O DAX, de Frankfurt, apresenta valorização de 1,50%.

Na terça-feira, foi divulgado estudos preliminares da vacina feita pela Pfizer e BioNTech. Essa é uma das quatro que estão em estudo e mostram potencial de viabilidade e foi encarada de forma positiva pelos mercados no momento em que alguns países podem ter que voltar a adotar medidas de isolamento social devido ao avanço das infecções pela Covid-2019.

“Existe essa tensão inerente entre a saúde da economia e a saúde da população. Essa será a maneira de pensar sobre o que impulsionará os mercados nas próximas semanas ou meses”, disse, à Bloomberg, David Lebovitz, estrategista de mercado global do JPMorgan Asset Management.

E sobre saúde da economia, o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulga nesta quinta-feira os dados do emprego no mês de julho, o “payroll”. A expectativa é pela criação de cerca de 3 milhões de vagas.

Os futuros do Dow Jones sobem 0,79% e os do S&P 500 registram valorização de 0,51%.

Nos mercados asiáticos, as Bolsas fecharam em alta mesmo com o aumento das tensões entre Hong Kong e China, que levou à prisão cerca de 370 pessoas já sob a vigência da nova lei de segurança nacional chinesa.

*Veja o desempenho dos mercados, às 7h36 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), +0,51%

*Nasdaq Futuro (EUA), +0,33%

*Dow Jones Futuro (EUA), +0,79%

Europa

*Dax (Alemanha), +1,50%

*FTSE 100 (Reino Unido), +0,54%

*CAC 40 (França), +1,26%

*FTSE MIB (Itália), +1,72%

Ásia

*Nikkei 225 (Japão), +0,11% (fechado)

*Hang Seng Index (Hong Kong), +2,85% (fechado)

*Shanghai SE (China), +2,13% (fechado)

*Petróleo WTI, +0,58%, a US$ 40,05 o barril

*Petróleo Brent, +0,62%, a US$ 42,29 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de 0,4%, cotados a 738.500 iuanes, equivalente hoje a US$ 104,53 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 7,0649 (-0,08%)

*Bitcoin, US$ 9.213, +0,62%

2. Agenda

O IBGE irá divulgar, às 9h, os dados da produção industrial referente ao mês de maio. A produção industrial deve ter registrado alta de 7% em maio na comparação mensal, segundo estimativa mediana em pesquisa Bloomberg, após queda de 18,8% na medição anterior. Na comparação anual, indicador deve ter apontado recuo de 21,8%, após cair 27,2% no mês anterior.

A principal divulgação do dia, no entanto, vem dos Estados Unidos. O Departamento de Trabalho irá publicar, às 9h30 (horário de Brasília) o relatório de emprego. A expectativa é pela criação de 3,06 milhões de vagas, segundo consenso Bloomberg. Também será divulgado, no mesmo horário, de uma o número de pedidos de auxílio-desemprego.

Os dados sobre as encomendas à indústria do mês de maio serão conhecidos às 11h.

Mais cedo, foi divulgado na Zona do Euro que a taxa de desemprego na União Europeia subiu para 7,4%, pouco abaixo da expectativa de 7,7%.

Na agenda de lives do InfoMoney, às 17h, o economista e professor Alan Ghani explica por que, apesar da atratividade dos produtos de renda fixa estar menor atualmente, as aplicações da categoria deverão ter sempre um papel importante no portfólio do brasileiro.

Nesta quinta-feira, sairá também o novo episódio do podcast Stock Pickers, desta vez com a participação de Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda e atual Secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo.

3. Eleições de 2020

A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira o adiamento das eleições municipais de 2020. Pelo texto aprovado, o 1º turno ocorre em 15 de novembro e o segundo, em 29 de novembro — o calendário original previa o primeiro turno 4 de outubro e o segundo turno, em 25 de outubro.

A proposta de emenda à Constituição (PEC) já havia sido votada pelo Senado Federal. Nesta quinta-feira, às 10h, deve ocorrer uma sessão no Congresso Nacional para sua promulgação.

Integrantes do chamado centrão eram resistentes à mudança de data, mas mudaram de ideia após o Congresso incluir contrapartidas para a medida ser aprovada na Câmara, como até R$ 5 bilhões para prefeituras enfrentarem a pandemia da Covid-19.

4. Concessões de aeroportos

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou, na quarta-feira, o edital para as concessões da sexta rodada de aeroportos. No entanto, o certame deve ocorrer apenas no ano que vem, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”.

Os documentos do edital, que agrupa 22 terminais divididos em três blocos de concessão, ainda precisam ser analisados pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Segundo a reportagem, a expectativa da Anac é que seja possível dar início ao processo ainda nesse ano, mas, devido à pandemia, o leilão pode ficar para 2021. O Ministério da Infraestrutura já trabalha com a estimativa de que aconteça no primeiro trimestre do ano que vem.

5. Panorama corporativo

A economia ensaia a retomada das atividades, mas, com o desemprego ainda em alta, a preocupação sobre a adimplência dos consumidores de serviço público continua no radar das empresas.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) anunciou foi prorrogada a medida que garante isenção no pagamento de contas de água e esgoto para os consumidores das categorias Residencial Social e Residencial Favela até o dia 15 de agosto.

O reajuste das tarifas, autorizado pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) também foi adiado para a mesma data.

No setor elétrico, paira a dúvida sobre a extensão do subsídio dado ao consumidor de energia de baixa renda. Segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, esse consumidor pode ter que voltar a pagar a conta já neste mês. O socorro de 90 dias, que custou ao Tesouro R$ 900 milhões, venceu na terça-feira (30) e não há ainda proposta de prorrogação, apesar do desemprego ainda em alta.

O subsídio beneficiou cerca de 9,5 milhões de inscritos no programa de baixa renda Tarifa Social, desde que consumam menos de 220 kWh (quilowatts-hora) por mês. A isenção de pagamento decorre da MP 950, editada em abril.

A Anima Holding anunciou a aquisição de 50,01% da Insegnare Educacional, mantenedora da UniFG, de Guanambi (BA), pelo valor de R$ 57,5 milhões.

Desse montante, R$ 20 milhões já foram pagos. Uma parcela de R$ 26 milhões será quitada em dez dias úteis a partir de assembleia da Anima e, por último, R$ 11,5 Milhões em 10 dias úteis após a apresentação, pelos vendedores, do balanço auditado do mês de junho de 2020.

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!