fbpx

Os três principais indicadores de Performance em Marketing

Quem não mede não gerencia! Essa é a maior verdade do marketing digital e provavelmente também seja uma dor no seu dia a dia de trabalho.

Um dos grandes desafios de muitos gestores na atualidade é não saber quais indicadores analisar para tomar uma decisão assertiva. Ao serem indagados sobre suas métricas, não sabem claramente a maioria de seus números.

Dados são o novo ouro. Com os indicadores de performance corretos, você consegue melhorar o processo de tomada de decisão, alinhar melhor as suas metas, ter resultados mensuráveis e melhorar o desempenho tanto individual como coletivo do seu time.

Sabendo da importância dos indicadores de performance na sua gestão, no episódio do ROI Hunters dessa semana, nossos hosts Dener Lippert, Guilherme Lippert, Joao Vitor e Fernando Miranda, revelam porque o Infomoney, a Gestão 4.0 e a V4 Company avaliam as métricas de performance de maneiras diferentes para analisar o crescimento e a saúde dos seus respectivos negócios.

Alguns dos indicadores comentados nesse episódio são:

    1. Lifetime value (LTV): indicador que mede o quanto determinado cliente gasta no seu negócio em todo o tempo de vida dele com você.
    2. Customer acquisition cost (CAC): Em português CAC pode ser traduzido por “Custo de aquisição de cliente’.” O que significa na prática o quanto você paga para ter um novo cliente comprando de você.
    3. Cohort: É o indicador que avalia nada mais que um corte na sua base de clientes, ou melhor, um grupo de clientes de acordo com semelhanças em comum. Um corte por mês de entrada, por canal, por sexo, por idade, por dispositivo e etc.
    4. Gross merchandise volume (GMV): é o valor total transacionado na plataforma que deixa uma taxa para ela.
    5. Churn: representa a porcentagem da sua base de clientes que deixaram de comprar na cadência média ou cancelaram um contrato com você.
    6. Return Over Investment (ROI): Em português, Retorno sobre investimento, lhe mostra o quanto você ganhou (ou perdeu) em relação ao valor aplicado em um determinado investimento.

Ainda assim, vale a pena ressaltar que não existe fórmula mágica que sirva para todos os tipos de negócios. Por este motivo, precisamos compreender a fundo cada indicador e formular estratégias inteligentes adaptadas a cada necessidade da empresa.

Confira parte da conversa:

Qual a diferença entre GMV e Receita?

Joao Vitor explica que “GMV é Gross Merchandise Volume, que é o valor bruto de mercadoria. Na maioria dos negócios, GMV e Receita são o mesmo, mas quando é um Market-Place ou E-commerce, um negócio que tenha Take Rate, GMV é tudo o que você está transacionando. Já a receita é aquilo que pertence ao seu negócio. Por exemplo, na V4, o GMV envolve a receita dos franqueados somada a da V4 Company.”

Para ficar ainda mais claro, Dener Lippert traz mais um exemplo:

“No mercado livre: tudo que o mercado livre vende é GMV e tudo o que ele recebe na conta dele é receita”, diz Dener Lippert.

Qual a diferença entre CAC (Custo por aquisição de cliente) e CPV (Custo por Venda)?

“Basicamente, no custo por venda, você pega todos os custos envolvidos e divide pelo total de vendas. Já o CAC, que muitos gestores não prestam atenção, é que ele mede apenas a aquisição de novos clientes. Você tem que ter metas e objetivos bem diferentes de quanto custa vender para quem já é seu cliente e o quanto custa adquirir um cliente novo,” explica Joao Vitor.

Entenda quais são os principais indicadores cruciais para uma gestão mais assertiva, como tirar insights destas análises e como escalar seus resultados através destas estratégias construindo um negócio de sucesso de longo prazo.

Ouça os demais episódios na íntegra nos players de sua preferência clicando aqui: O podcast oficial de marketing digital do Infomoney.

Série gratuita ensina na prática como identificar ativos com excelente potencial de valorização. Clique aqui para se inscrever.

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais