fbpx

Pamella Holanda apoia o “Agosto Lilás”, após revelar agressão de DJ Ivis

Há algumas semanas, Pamella Hollanda divulgou um vídeo polêmico, onde denunciou a agressão física causada por seu agora ex, DJ Ivis. O assunto tomou conta dos noticiários e ganhou força ainda mais neste mês de agosto, onde se chama a atenção para o “Agosto Lilás”, mês de combate à violência doméstica e familiar contra a mulher.

Em seu perfil das redes sociais, Pamella deixou seu engajamento à campanha.

Que sejamos corajosas e denunciemos e que os órgãos competentes nos deem todo o suporte para que a lei seja cumprida. Violência contra mulher é crime!

“Minha alma é LILÁS. No mês dedicado a essa luta contra a violência contra a mulher, me sinto honrada por poder primeiro ser voz e segundo representar a coragem que é ir contra um machismo estrutural no qual crescemos e inconscientemente alimentamos, seja com falas, comportamentos, ações… que não só nesse mês, mas em todos os outros meses do ano, isso seja debatido, esclarecido e dado a devida importância! Na pandemia os casos de violência doméstica aumentaram absurdamente e não existe coincidência nisso. Que sejamos corajosas e denunciemos e que os órgãos competentes nos deem todo o suporte para que a lei seja cumprida. Violência contra mulher é crime!”, escreveu a moça.

O QUE É O AGOSTO LILÁS?

O “Agosto Lilás” é uma campanha de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, instituída por meio da Lei Estadual nº 4.969/2016. O objetivo é intensificar a divulgação da Lei Maria da Penha, sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre o necessário fim da violência contra a mulher, divulgar os serviços especializados da rede de atendimento à mulher em situação de violência e os mecanismos de denúncia existentes.

A campanha nasceu em 2016, idealizada pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM), para comemorar os 10 anos da Lei Maria da Penha, reunindo diversos parceiros governamentais e não-governamentais, prevendo ações de mobilização, palestras e rodas de conversa – e desde então vem se fortalecendo e consolidando como uma grande campanha da sociedade no enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, que já alcançou um público aproximado de 419.404 pessoas em todo o Estado, de 2016 a 2020.

“Agosto Lilás” é uma de forma inédita de produzir material  educativo sobre a Lei Maria da Penha direcionado às mulheres com deficiência visual, auditiva e mulheres das etnias guarani e terena, as quais receberam CD’s em áudio com narração em braile, DVD’s de libras para mulheres surdas e cartilhas traduzidas nas línguas indígenas.

A Lei 4.069/2016  também criou o programa “Maria da Penha Vai à Escola” e nos anos seguintes foram incorporados outras ações, como: Maria da Penha vai à Igreja, Maria da Penha vai ao Campo, Maria da Penha vai à Empresa, Maria da Penha vai à Aldeia, Maria da Penha vai ao Quilombo, Maria da Penha vai ao Bairro, Maria da Penha vai à Feira.

Fonte: site Não se Cale – Agosto Lilás.

RELEMBRE O CASO DE PAMELLA HOLANDA

No dia 11 de julho deste ano, Pamella Holanda, ex-mulher do DJ Ivis publicou alguns vídeos em seu perfil no Instagram, onde aparece o artista a agredindo várias vezes, algumas delas na frente da filha pequena do casal. As imagens são fortes e mostra ele dando socos, chutes e puxando o cabelo da arquiteta.

Imagem de vídeo de DJ Ivis agredindo a mulher
Imagem do vídeo da agressão de DJ Ivis (Foto: Reprodução Instagram)

PRISÃO DE DJ IVIS

No início da tarde DO DIA 14 DE JULHO, Camilo Santana, Governador do Estado do Ceará, usou o Twitter para atualizar a população a respeito do caso do DJ Ivis, acusado de violência doméstica por sua ex-mulher, Pamella Holanda.

“Acabo de ser informado pelo nosso secretário de Segurança da prisão do DJ Ivis, no caso das agressões a Pamella Holanda. A prisão preventiva havia sido solicitada ontem pela nossa Política Civil”, iniciou o político na mensagem postada no Twitter.

PEDIDOS DE HÁBEAS CORPUS NEGADOS

Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, teve seus cabelos raspados ao chegar na Unidade Prisional Irmã Imelda Lima Pontes, em Aquiraz, no Ceará. O produtor musical foi preso na última quarta-feira (14) pelas agressões contra a ex-mulher, Pamella Holanda, que expôs os vídeos em que foi agredida pelo famoso nas redes sociais.

A Justiça negou o pedido de habeas corpus de DJ Ivis no último sábado (17) e ele permanecerá preso por tempo indeterminado à disposição do Poder Judiciário. Caso ele seja condenado por lesão corporal, a pena máxima é de três anos em regime aberto ou semiaberto. O presídio de Aquiraz é de segurança máxima.

O segundo pedido de hábeas corpus foi negado. O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, negou um habeas corpus em defesa do cantor Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis. A decisão é da sexta-feira, dia 16 de julho, mas foi publicada pela Corte na segunda-feira, dia 19. De acordo com o tribunal, o pedido foi solicitado por um perito judicial e não pela defesa do cantor.

De acordo com o presidente do STJ, o habeas corpus não dispõe de documentos que mostrem a real situação do processo criminal que tramita na Justiça cearense. Para Humberto Martins, analisar o pedido agora poderia provocar tumulto no processo e prejudicar a própria defesa dos advogados do cantor.

Fonte: O Fuxico

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais