fbpx

Para empreender, educação financeira é mais importante do que você imagina

(Shutterstock)

SÃO PAULO – Empreendedorismo pede criatividade, enquanto a educação financeira pede razão. Mas construir um negócio de sucesso passa pela união dessas duas competências. Saber ganhar, poupar, investir e pensar sobre dinheiro é fundamental para construir um empreendimento competitivo, mas sustentável.

A reflexão fez parte do painel “Educação Financeira: Por que é importante?”, promovido pela Semana de Educação Financeira Xpeed. Discutiram o tema Eduardo Lyra (fundador e CEO do Gerando Falcões), Guilherme Benchimol (fundador e CEO da XP Inc.) e Kondzilla (produtor da Kondzilla Records, com o sétimo maior canal de música do mundo).

A Semana de Educação Financeira XPEED faz parte da Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), iniciativa pública que reconhece a educação financeira e previdenciária como ferramenta de inclusão social, de melhoria da vida do cidadão e de promoção da estabilidade, concorrência e eficiência do sistema financeiro do país. A última ENEF teve mais de 14.000 ações, impactando 70 milhões de pessoas.

Primeiros passos: ganhar, poupar, investir e aprender

Lyra diz que um dos ensinamentos de sua mãe é poupar mesmo sem ganhar muito dinheiro. “Eu vivia numa situação vulnerável, mas já comecei a poupar com meu primeiro salário. Eu comia no Bom Prato de Ferraz de Vasconcelos [restaurante popular em cidade da Grande São Paulo] para poder guardar R$ 6 que iriam para a faculdade, para garantir meu futuro. Decidi com minha esposa depois que nunca teríamos problema com o dinheiro. Tudo que conseguíamos produzir, guardávamos ao menos 50%”, diz.

Depois de ganhar e separar dinheiro, o próximo passo é escolher investimentos. “Obtive algumas conquistas, como uma casa, não necessariamente ganhando muito dinheiro. Tive uma boa gestão, o que permitiu autonomia financeira”, diz Lyra. “Começar a guardar dinheiro, buscar conhecimento e então fazer bons investimentos é o primeiro passo para criar um fluxo de prosperidade e uma vida melhor para a sua família.”

Aprender, inclusive sobre educação financeira, é uma constante no mundo do empreendedorismo e dos investimentos. “Empreender é simples, na teoria. Fazer mais receitas do que despesas, entregando cada vez mais qualidade. Mas você não saberá otimizar essas variáveis sem educação financeira. Você empreenderá com amadorismo, e assim não chegará lugar algum”, diz Benchimol.

“No começo, eu investia tudo. Mas eu sabia que tinha de ter um custo menor do que os ganhos, o que me permitiria formar um patrimônio para investir em estudos e equipamentos. Isso era essencial para competir em um mercado tão agressivo quanto o de produção audiovisual e de música. Tínhamos de construir um produto que eu tivesse coragem de consumir”, concorda Kondzilla.

A importância do conhecimento sobre finanças ficou ainda mais evidente nos últimos meses, marcados pela pandemia. “Vimos como o Brasil é vulnerável economicamente. Não ter uma reserva para fazer compras por dois ou três meses colocou as pessoas em uma situação delicada. Quanto mais levarmos a educação financeira, mais elas terão segurança em dias ruins”, diz Lyra. “A educação financeira a transforma pessoas. Elas vão além de consumidoras, viram cidadãs que exercem seus direitos.”

Melhores da Bolsa 2020
Cadastre-se gratuitamente para participar do encontro entre os CEOs das melhores empresas listadas na Bolsa e gestores de grandes fundos, entre os dias 24 e 26 de novembro:

Receita do sucesso: começar pequeno, olhando o longo prazo

Na toada sobre consumismo, Benchimol diz que um dos maiores aprendizados financeiros é abrir mão de vontades de curto prazo e usar esse dinheiro para fazer renda. Depois de um tempo, o patrimônio cresce por conta própria como fruto do esforço dedicado à educação, aos investimentos e negócios.

“Além de ajudar a ter um conforto mínimo, o que o dinheiro traz é liberdade. Você consegue fazer escolhas melhores, como entrar em uma empresa ou projeto em que acredita. Sua felicidade parece menor em curto prazo, mas será maior em longo prazo”, diz Benchimol.

Na hora de tocar os primeiros empreendimentos, é inclusive melhor começar pequeno. “Muita gente acha que sonhar grande é começar grande, mas todos nós começamos pequenos. Quando você não conhece bem as variáveis, é importante começar enxuto. Você muda de opinião algumas vezes até encontrar o caminho certo”, diz. “Não conheço quem alcançou o sucesso no curto prazo. Tem muita gente que sempre começa algo novo. É importante você ter uma direção, e ela só se consolida no longo prazo.”

Por fim, o fundador e CEO do grupo XP Inc. deu conselhos que vão além do universo dos negócios e investimentos. “Seja uma pessoa obstinada. Você vai tomar vários tombos ao longo da vida, e vai precisar aprender com esses erros do passado para seguir em frente”, diz Benchimol. “Também aprenda a assumir riscos. Temos uma cultura latino-americana de cuidar uns dos outros, e em casa eu sempre ouvi que teria de ter uma carreira tradicional. Empreender porque algo faz sentido, mas sabendo a administrar os riscos envolvidos, é importante.”

O lado desconhecido das opções: treinamento gratuito do InfoMoney ensina a transformar ativo em fonte recorrente de ganhos – assista!

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais