fbpx

Parlamentares criticam ameaça de Bolsonaro a jornalista

Parlamentares e partidos políticos reagiram à ameaça feita pelo presidente Jair Bolsonaro a um repórter do jornal O Globo neste domingo (23). Questionado pelo jornalista sobre repasses de Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), à primeira-dama Michelle Bolsonaro, Bolsonaro respondeu: “Vontade de encher sua boca de porrada”, suscitando críticas no meio político.

O presidente Jair Bolsonaro visita a Catedral de Brasília durante passeio, neste domingo (23). No local, ao ser perguntado por um repórter do jornal O Globo sobre o motivo dos depósitos feitos pelo ex-assessor Fabrício Queiroz à primeira-dama, Michelle Bolsonaro, o presidente respondeu: “A vontade que eu tenho é de encher sua boca de porrada”.

Foto: Gabriela Biló / Estadão

O PSDB diz em nota que a fala do presidente “desrespeita a liberdade de imprensa” e “não condiz com o cargo”. “O presidente volta a mostrar apreço por posturas agressivas e antidemocráticas”, publicou o perfil oficial do partido no Twitter. O MDB, por sua vez, pediu respeito aos jornalistas. “O presidente da República precisa se retratar”, diz a legenda.

A deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) chamou a fala de “inaceitável”. Ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, avaliou que o aumento da popularidade do presidente o encoraja a voltar a ativar sua base militante. “Bolsonaro bem comportado é uma ilusão… durou pouco”, declarou à reportagem. Sâmia, hoje líder do PSOL na Câmara dos Deputados, diz que falas como a deste domingo, 23, “mostram a que o presidente veio”.

Para a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), parlamentar com um histórico de embates com o presidente, o ataque ao jornalista é “gravíssimo”. “Na democracia, tal atitude não pode ser tolerada. Chega deste tensionamento diário. Fora Bolsonaro”, publicou Maria do Rosário no Twitter. O também petista Alencar Braga (SP) chamou a atitude de “ira de mafioso”.

Entre os senadores, Humberto Costa (PT-PE) classificou o episódio como “absurdo”. Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse que Bolsonaro tem medo. “O medo de responder é tão grande que Bolsonaro quer silenciar quem o fiscaliza de toda forma… Ele vai dizer o mesmo à justiça?”, questionou o parlamentar, no Twitter.

Veja também:

Nenhum governador chamou o coronavírus de “gripezinha”, diz Dino

Estadão

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!