Parlamento do Reino Unido aprova emenda que adia decisão sobre o Brexit

(Parlamento Reino Unido/Jess Taylor)

SÃO PAULO – O Parlamento do Reino Unido aprovou neste sábado (19) uma emenda que obriga o governo britânico a procurar uma extensão do prazo para o Brexit (marcado atualmente para 31 de outubro) para 31 de janeiro de 2020, marcando mais uma dura derrota para o primeiro-ministro Boris Johnson.

Após 37 anos sem sessões de fim de semana, os parlamentares se reuniram neste que tem sido chamado de “super sábado” para decidir sobre o acordo conseguido de última hora pelo premiê com a União Europeia para conseguir realizar a saída dos britânicos do bloco europeu.

Por 322 a 306, o Parlamento aprovou a emenda apresentada pelo ex-legislador do Partido Conservador Oliver Letwin, que determina que o acordo de Brexit só poderá entrar em vigor quando uma porção da legislação relacionada à saída for aprovada na Câmara.

Como não há tempo hábil para que sejam debatidas estas regras, isso obriga Johnson a pedir o adiamento do prazo para a Comissão Europeia.

Segundo as regras estabelecidas, Johnson tem até 23h (19h no horário de Brasília) deste sábado para aprovar o acordo. Com isso, mesmo que o Parlamento ainda aceite os novos termos durante a próxima semana, como teria ainda de haver a discussão sobre a legislação, o premiê será obrigado pedir a extensão do prazo.

Apesar da decisão, logo após declarado o resultado, Johnson afirmou que não vai pedir um novo adiamento para a União Europeia. “Não negociarei um atraso com a UE e a lei não me obriga a fazê-lo”, disse.

“Na próxima semana, o governo introduzirá a legislação necessária para deixarmos a UE com nosso novo acordo em 31 de outubro e espero que nossos colegas e amigos europeus não sejam atraídos, como a oposição, por um atraso ”, acrescentou Johnson.

Veja também: Cronologia do Brexit: Um resumo sobre a saída do Reino Unido da UE

Já o líder da oposição, Jeremy Corbyn, respondeu ao premiê dizendo que ele “deve cumprir a lei” e pedir à UE o adiamento no Brexit.

Ainda não há um consenso sobre o que ocorrerá agora, mas segundo jornais ingleses, é provável que a votação definitiva sobre o acordo do Brexit ocorra apenas na próxima terça-feira (22).

Se o Parlamento não aprovar o acordo, o Reino Unido estará preso em um grande impasse. Johnson reforça que não pedirá um adiamento do prazo e o Reino Unido deixará o bloco europeu dia 31. Por outro lado, recentemente os parlamentares aprovaram uma lei que impede o Brexit sem acordo.

Em meio a tudo isso, nos últimos dias, líderes europeus indicaram que, mesmo que o Reino Unido peça o adiamento, eles não estão dispostos a aceitar esta mudança de prazo.

Fonte: INFOMONEY

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: