fbpx

Pit bull é resgatado em estado grave após tutor tentar matá-lo com taco de beisebol

Mariana Dandara | Redação ANDA

Por conta da agressão, o cachorro ficou com a mandíbula quebrada, com um edema cerebral e com alterações neurológicas

Foto: Ana Paula de Vasconcelos

Um cachorro da raça pit bull foi resgatado em Ceilândia, no Distrito Federal, após ser brutalmente agredido por seu tutor, que usou um taco de beisebol para tentar matar o animal. Após a agressão, ocorrida na manhã da última segunda-feira (8), o homem abandonou o cão em um terreno baldio.

O caso foi denunciado às autoridades e está sendo investigado pela Polícia Civil. A advogada da Comissão de Direitos dos Animais da OAB, Ana Paula Vasconcelos, foi quem recebeu a denúncia e registrou o boletim de ocorrência. Ela também esteve no local onde o crime aconteceu.

Resgatado, o pit bull foi internado em estado grave em uma clínica veterinária. Ele está com a mandíbula quebrada, com um edema cerebral e com alterações neurológicas.

De acordo com relatos de vizinhos, o tutor do cachorro estava discutindo com uma pessoa na casa onde mora quando o pit bull o mordeu. O animal, que provavelmente reagiu à discussão por ter ficado assustado com a situação, foi agredido por ter mordido o homem, que o amarrou em um poste, impedindo que ele fugisse, e desferiu golpes usando um taco de beisebol.

Após ser denunciado pelo crime, o tutor do cachorro foi levado à delegacia. Em depoimento ao delegado, ele disse que depois que o cachorro o mordeu, seu filho espantou o pit bull e que ambos “não sabiam para onde o animal foi”.

Os investigadores da 24ª Delegacia de Polícia Civil, que investigam o caso, pediram imagens de câmeras de segurança das casas vizinhas para, segundo eles, tentar “identificar o que aconteceu”.

Lei Sansão

Sancionada no final de 2020, uma nova lei de proteção animal aumentou a pena para crimes cometidos contra cachorros e gatos no Brasil. Antes, esses crimes eram punidos com, no máximo, um ano de detenção, pena que era convertida em alternativas como a prestação de serviços à comunidade.

A legislação recebeu o nome de “Lei Sansão” em homenagem ao pit bull Sansão, que foi brutalmente torturado em Minas Gerais, tendo as duas patas traseiras decepadas. Paraplégico, ele não apenas se recuperou e provou o quão forte é capaz de ser, como serviu de incentivo para a aprovação da lei.

Com o aumento da pena, os criminosos que submeterem cachorros e gatos a maus-tratos poderão ser presos por um período de dois a cinco anos. Eles também poderão ser punidos com multa e com a proibição de tutelar outros animais.

A medida, no entanto, não protege os animais de outras espécies, excluindo a fauna silvestre e animais que são explorados pela sociedade, como galos, porcos, bois e galinhas.

Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais