fbpx

Por que a OAB reprova tanto? De cada 10 candidatos, menos de 2 passam

PUBLICIDADE CORPORATIVA

Por DINO

access_time

9 ago 2019, 07h52- Atualizado em 9 ago 2019, 23h24

Terminar a faculdade de direito não transforma o estudante em advogado. Isso só acontece quando ele se inscreve nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil. Pra isso, ele tem que ser aprovado em um Exame que a entidade organiza, em geral, 3 vezes por ano.

Mas parece que a prova tem reprovado cada vez mais. O XXIII Exame, por exemplo, reprovou 82,93% dos candidatos.

Segundo André Vilas Boas, fundador do curso Tô Na Ordem!, consultoria especializada na preparação de estudantes para esse Exame, os motivos desses índices tão altos podem ser contornados.

Para o criador do site, o candidato falha na hora de se preparar: “O estudante comete alguns erros bem básicos, como tentar estudar todo conteúdo de todas as matérias, não fazer um planejamento dos dias para dividir o conteúdo a ser estudado. É mais ou menos assim: o aluno não sabe o que estudar, como estudar e quando estudar.”

Ele aponta outro fator que chama a atenção: “A pressão psicológica. O candidato não foi preparado para lidar com as pressões. E elas vem de muitos lugares: os pais, os amigos, a família. Todo mundo passa a olhar para o candidato com um ar de cobrança para que ele “termine” os estudos e comece a trabalhar logo.”

Para André Vilas Boas, o aluno precisa se preparar com cuidado para olhar os dois lados da moeda: o pedagógico e o psicológico:

“Dentro do meu curso de preparação, nós ensinamos as pessoas a estudar. Não ensinamos o direito em si, o direito civil ou constitucional, por exemplo. Mas ensinamos aos alunos como fazer um bom resumo, como manter a concentração, evitar a procrastinação e entregamos um cronograma completo do que ele tem que estudar em cada um dos dias da preparação.”

O trabalho feito por André e sua equipe levou em conta algumas estratégias da matemática. Segundo ele, a equipe analisou mais de 2000 questões da prova da OAB e descobriu quais são as matérias preferidas dos examinadores, ou seja, as que mais caem nas provas.

O criador do Tô na Ordem! deu o exemplo da disciplina de direito administrativo. Ele relatou que as pesquisas da equipe identificaram que 60% de todas as questões que já caíram no exame tratavam de apenas 5 temas.

“É isso que eu sempre digo. O aluno não se planeja antes e acaba perdendo tempo estudando o que não precisa.”

O método que ele emprega foi idealizado quando ele se preparava para os concursos. André é Defensor Público estadual e foi aprovado em outros 5 concursos, além de ter passado no Exame da OAB ainda na faculdade.

“Eu sentia que estudava, estudava e estudava por horas e parecia que não tinha aprendido nada. Gastei muito tempo até perceber que eu estava estudando errado. Desenvolvi essa metodologia de estudos que eu chamei de “Os 4 pilares da aprovação”. Depois dela, tudo ficou mais fácil. Eu estudava menos e aprendia mais.”

A democratização do acesso à internet permitiu que o Tô na Ordem! seja acessado por qualquer aluno no mundo. Os cursos são online e os encontros de orientação com o André são feitos com aplicativos de comunicação.

O sucesso tem sido enorme, superando a média nacional de aprovação. O principal curso online da empresa se chama “Hackeando a OAB” e teve suas vagas esgotadas em pouco tempo depois de abertas. Uma nova turma deve ser iniciada em breve.

Website: https://pages.hotmart.com/r15459468d/cronograma-oab-75-dias

Fonte: Google News

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!