Primeiro-ministro chinês visita Wuhan, epicentro do surto de coronavírus

O primeiro-ministro chinês Li Keqiang visitou Wuhan nesta segunda-feira, 27. A cidade que fica na região central do país é o epicentro de uma nova epidemia de coronavírus que já infectou mais de 2.700 pessoas em todo o país, informou o governo. O primeiro-ministro está em Wuhan para “investigar e orientar” os esforços das autoridades para conter o vírus, disse o governo. É a primeira visita de um líder do governo à cidade desde o início da epidemia.

Como medida para coner o avanço do vírus, o governo da China anunciou que estenderá até o dia 2 de fevereiro as férias pelo Ano Novo Lunar, cuja conclusão estava prevista para o dia 30. A ideia é evitar mais contágios em meio ao surto que já infectou ao menos 2.744 pessoas e deixou 80 mortos.

“A medida foi tomada para, efetivamente, reduzir as concentrações de pessoas, bloquear a propagação da epidemia e garantir a segurança e a saúde dos chineses”, disse o Escritório Geral do Conselho de Estado (o governo chinês) em declaração reproduzida pela agência de notícias estatal.

Universidades, colégios e creches em todo o país “adiarão a abertura do semestre de primavera até um novo aviso”, especifica o texto.

Além disso, autoridades detalharam que os trabalhadores que não puderam tirar férias devido às medidas de prevenção e controle do surto poderão fazê-lo em data posterior.

A Comissão Nacional de Saúde da China relatou que, entre os 2.744 casos confirmados do coronavírus inicialmente registrado em Wuhan, 80 pessoas morreram e 461 pacientes permanecem em estado grave.

Os sintomas do novo coronavírus, provisoriamente chamado de 2019-nCoV pela Organização Mundial da Saúde (OMS), são em muitos casos semelhantes aos de um resfriado, mas podem ser acompanhados de febre e fadiga, tosse seca e dificuldade para respirar. /EFE & AFP

  • separator

Fonte: PORTAL TERRA – VIDA E ESTILO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: