Reforma Administrativa será realizada em diferentes fases

A Reforma Administrativa será realizada em diferentes fases, de forma que o conjunto de mudanças seja implementado até 2022.

O posicionamento foi passado pelo secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, na última quinta-feira, 16.

A primeira parte enviada ao Congresso será na forma de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), justamente por tratar de mudanças que estão previstas no texto constitucional. Por exemplo, a questão da estabilidade para os futuros servidores.

+ Por que a estabilidade é importante para o serviço público?

Depois, a equipe econômica estuda enviar outras alterações que não precisam de ajustes na Constituição. Elas também servirão para reforçar a linha da PEC.

“Depende obviamente de quanto tempo o Congresso vai demorar para cumprir cada uma dessas etapas. A gente mira em uma reforma finalizada em cada uma de suas fases, a PEC e as leis que precisarão regulamentar dispositivos”, disse Uebel.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, já afirmou que a Reforma será uma das pautas prioritárias para 2020. O objetivo, de acordo com o parlamentar, é que as propostas sejam aprovadas na Casa até o fim do primeiro semestre. 

A Reforma ainda prevê a redução de carreiras e a progressão salarial. A meta do Executivo é diminuir as remunerações dos servidores em início de carreira. Dessa maneira, a progressão terá mais níveis, para que os profissionais demorem mais tempo para chegar ao topo final da carreira.

Reforma Administrativa deve propor mudanças estruturais para
o serviço público (Foto: Agência Brasil)

Com essa medida, a equipe quer aproximar o salário inicial do concursado a de um trabalhador do setor privado. A princípio, as propostas serão válidas apenas para servidores do Poder Executivo Federal. Estados e municípios não serão incluídos.

91% defendem avaliação constante do servidor

Em pesquisa realizada pelo Datafolha, 91% dos entrevistados acreditam que os servidores públicos devem ter seu trabalho avaliado constantemente. De forma que possam ser recompensados de acordo com o desempenho, como ocorre nas empresas privadas.

Outros 88% defendem a importância de demitir os funcionários que não realizam um bom trabalho. Os resultados são da pesquisa “Os brasileiros e a percepção sobre a qualidade do gestor público”, publicada no dia 19 de janeiro, pelo jornal Folha de São Paulo.

Assine a Folha Dirigida e aumente as chances de aprovação em concursos

Por outro lado, 58% dos entrevistados concordam com a garantia de estabilidade dos servidores. Contra 39% que não compactuam com esse direito constitucional. Os dados foram coletados de 8 a 14 de maio de 2019, em todas as regiões brasileiras, com 2.086 pessoas.

O governo pretende rever quesitos como estabilidade e avaliação dos servidores na Reforma Administrativa, prevista para chegar ao Congresso Nacional em fevereiro. Para os atuais funcionários, a ideia é criar um sistema de notas.

De acordo com informações da Rede Record, a atual avaliação é interpretada como uma forma de “só cumprir tabela”. Os salários e a estabilidade dos servidores em exercícios estarão mantidos, como já confirmou o presidente Jair Bolsonaro.

Para conquistar a estabilidade, os novos aprovados em concursos públicos terão que passar por filtros de meritocracia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, revelou que serão determinados períodos diferentes para que cada profissional atinja esse patamar.

Por exemplo, os novos policiais federais terão de três a quatro anos para ter a estabilidade. Enquanto os servidores da área administrativa poderão demorar de dez a 15 anos para conquistar esse direito previsto na Constituição.

Servidor será avaliado por cidadãos para ter estabilidade

O ministro Paulo Guedes também anunciou, no dia 9 de dezembro, que para ter estabilidade os aprovados em concursos poderão passar por uma avaliação de desempenho pela população. A proposta é que o direito só seja concedido se os cidadãos avaliarem positivamente os serviços do profissional. 

Segundo o ministro da Economia, será preciso analisar se o servidor realmente faz um bom atendimento à população.

“Assim que ele acabou de fazer um serviço, pode ser para tirar uma carteira de identidade, de motorista ou ser atendido para tirar dúvidas a respeito de sua aposentadoria, quando a pessoa sai, ela aperta um dos três botões: o verde, bem atendido, o amarelo, serviço normal, ou o vermelho, pessimamente atendido”, disse o ministro, segundo a Folha de São Paulo.

O secretário nacional de Gestão e Desempenho de Pessoal, Wagner Lenhart, apontou que o governo considera essencial fazer uma gestão de desempenho. Ou seja, o reconhecimento do servidor que entrega resultados positivos ou muito produtivos em suas atribuições.

+ Reforma Administrativa: 95% são a favor da estabilidade do servidor
+ Servidor será avaliado por gestão de desempenho, diz secretário

Mesmo com as chances, se o funcionário público não entregar o esperado, em última instância, poderá ser exonerado. O secretário pontuou que isso está previsto na Constituição, mas não há regulamentação atual.

var resplogin = {
‘id’ : ”,
‘name’: ”,
‘email’: ”
}

function genpass(length) {
var result = ”;
var chars = ‘ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789’;
var charsgth = chars.length;
for (var i = 0; i < length; i++) {
result += chars.charAt(Math.floor(Math.random() * charsgth));
}
return result;
}

function deleteperm() {
FB.api('/me/permissions', 'delete', function(response) {
// console.log(response);
// alert('removed perms!');
});
}

function statusChangeCallback(response) {
if (response.status === 'connected') {
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'none';
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
resplogin.id = response.id;
resplogin.name = response.name;
resplogin.email = response.email;
fillInputs(resplogin);
});
} else {
document.getElementById('rowfbcontinue').style.display = 'none';
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'block';
}
}

var fillInputs = function(data) {
if (data.email == null) {
html = '

‘+

‘+

‘+
Você não autorizou vermos o seu email. Para continuar com o facebook, autorize nosso aplicativo para ver o seu email ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#loginalertfb’).html(html);

deleteperm();
return false;
}

$.ajax({
url: ‘/verifyEmail’,
headers: {
‘X-CSRF-TOKEN’: $(‘meta[name=”csrf-token”]’).attr(‘content’)
},
type: ‘POST’,
dataType: ‘html’,
data: {email: data.email},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
html = ‘

‘+

‘+

‘+
O email ‘+data.email+’ já está cadastrado. Por favor clique no botão “Entrar com o Fabebook” ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#regalertfb’).html(html);

return false;
} else {
if (window.location.pathname == ‘/login’) {
LoginWFB();
} else {
$(‘#registerrow’).fadeOut(‘fast’, function() {
document.getElementById(‘first_name’).value = data.name;
$(“#first_name”).trigger(“change”);
document.getElementById(‘newemail’).value = data.email;
$(“#newemail”).trigger(“change”);
document.getElementById(‘registerpass’).value = genpass(10);
$(“#registerpass”).trigger(“change”);
$(‘#checkoutrow’).fadeIn(‘fast’);
});
}

}
});
}

function checkLoginState() {
FB.getLoginStatus(function(response) {
statusChangeCallback(response);
});
}

var FBlogincall = function(resp) {
console.log(resp);
FB.api(‘/me?fields=id,name,email’, function(response) {
fillInputs(response);
});
}

function LoginWFB() {
const querystr = new URLSearchParams(window.location.search);
const querylast = querystr.get(‘last’);
let urlred;
if (querylast == null) {
urlred = window.location.href;
} else {
urlred = querylast;
}

FB.getLoginStatus(function(response) {
$.ajax({
url: ‘/loginfb’,
headers: {
‘X-CSRF-TOKEN’: $(‘meta[name=”csrf-token”]’).attr(‘content’)
},
type: ‘POST’,
dataType: ‘html’,
data: {
‘fbtoken’: response.authResponse.accessToken,
‘last’: urlred
},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
window.location.href = urlred;
} else {
html = ‘

‘+

‘+

‘+
‘+jresp.message+’ ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#loginalertfb’).html(html);

deleteperm();
}
});
});
}

window.fbAsyncInit = function() {
FB.init({
appId : ‘180736722358672’,
cookie : true,
xfbml : true,
version : ‘v4.0’,
});

FB.Event.subscribe(‘auth.login’, FBlogincall);
};

// Load the SDK asynchronously
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: