Região Nordeste do Brasil – Estudo Prático

A região Nordeste do Brasil possui muitas características interessantes, tanto em seus aspectos físicos, quanto em relação aos elementos culturais.

É uma região muito diversificada, formada por quatro sub-regiões com características particulares.

A cultura do Nordeste é riquíssima, com aspectos culinários, danças típicas e uma religiosidade marcada pelo sincretismo.

Já a economia do Nordeste tem variações em conformidade com cada uma das sub-regiões. Assim, formam a região que já foi a mais desenvolvida economicamente do país, na época da exploração da cana de açúcar.

É importante conhecer mais sobre a região Nordeste do Brasil, especialmente para que se entenda que ela é muito ampla e diversificada.

A visão que muitas pessoas têm do Nordeste fica restrita ao que foi construído pela mídia, principalmente a televisão, e nem sempre reflete a realidade regional.

Saiba mais sobre a região Nordeste do Brasil neste artigo do Estudo Prático. Descubra como esta região é dividida, quais são os estados que a compõem, seus climas, biomas, sua cultura e economia.

O que é o Nordeste do Brasil?

O Nordeste do Brasil é uma das cinco grandes regiões brasileiras definidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), juntamente com as regiões Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Além da região Nordeste, o Brasil é formado ainda por outras quatro regiões (Foto: depositphotos)

Para definir as regiões brasileiras, o órgão agrupou em uma mesma região os estados e municípios com base na diversidade natural, cultural, econômica, social e política. Com isso, facilita os estudos e o planejamento para cada uma destas regiões.

Essa divisão em macrorregiões foi elaborada no ano de 1970, levando em consideração os aspectos físicos.

Além disso, também é pensando as articulações econômicas e a estrutura urbana na organização do espaço geográfico regional e do país.

Essa divisão regional permanece até os dias atuais. Existem ainda outras formas de divisão regional do Brasil, como a que considera os complexos regionais, ou regiões geoeconômicas do Brasil, que são Amazônia, o Nordeste e o Centro-Sul.

Como está subdividido o Nordeste brasileiro?

A região Nordeste do Brasil é formada a partir de quatro sub-regiões, ou subdivisões, as quais são: Meio-Norte, Zona da Mata, Agreste e Sertão.

Cada uma destas sub-regiões apresenta condições físicas diferenciadas, como relevo, clima, hidrografia e vegetação.

Isso se reflete também no tipo de atividade econômica predominante em cada uma delas, bem como a organização do espaço geográfico e das atividades humanas.

Veja cada uma delas em detalhes:

Meio-Norte

Porção do Nordeste que engloba a maior parte do Estado do Maranhão e uma grande parte do Estado do Piauí ao Oeste do seu território.

É uma região de transição entre dois biomas, que são a Floresta Amazônica e o Cerrado, tendo características de ambos.

Ao mesmo tempo, também é a região da transição entre os biomas do Cerrado e da Caatinga. Portanto, uma área com grande variedade de vegetação e animais dos três biomas.

A vegetação predominante é a das matas de cocais, carnaúba e babaçus. Por conta da ação da Massa Equatorial Atlântica (MEA), a porção Oeste desta sub-região apresenta índices pluviométricos (chuvas) relativamente elevados.

A atividade extrativista, principalmente coleta dos coquinhos, é destaque na economia desta sub-região.

Destacam-se também a atividade açucareira e algodoeira, o cultivo do arroz e uma pecuária feita de forma extensiva, além da extração da cera de carnaúba.

No entanto, a expansão dos latifúndios produtores de soja na região tem ameaçado as atividades tradicionais da população que vive no Meio-Norte.

Zona da Mata

Sub-região do Nordeste que se estende desde o Rio Grande do Norte ao Sul da Bahia, ocupando toda região litorânea e banhada pelo Oceano Atlântico.

Das quatro sub-regiões nordestinas, esta é a que possui mais contingente populacional, sendo também a mais urbanizada e com maior infraestrutura.

É a região que concentra as atividades administrativas (principais capitais) e a maior oferta de bens e serviços.

A vegetação predominante originalmente na Zona da Mata é a Mata Atlântica, intensamente devastada pela ação humana.

O clima da sub-região é o tropical úmido, influenciado pela proximidade com o oceano. A região destaca-se pelos atrativos turísticos, com suas belas praias.

A economia é muito diversificada, abrangendo desde atividades agrícolas até setores financeiros e imobiliários.

Com uma intensa urbanização, é também uma sub-região que tem expressivos problemas nas cidades, como desigualdades sociais, favelização, violência urbana, poluição, dentre outros.

Agreste

É uma sub-região que está na área de transição entre dois biomas, que são a Caatinga e a Mata Atlântica. Desta forma, apresenta características de ambos os biomas.

O relevo apresenta-se mais acidentado, com a presença do Planalto da Borborema.

É uma região onde a agricultura é marcada pelas pequenas propriedades policultores (vários tipos de cultivos) e pela pecuária extensiva (animais criados soltos).

As atividades de monocultura na região são de algodão e café. É uma sub-região que produz uma grande quantidade de alimentos, especialmente pela forma como as terras são ocupadas e utilizadas.

O Agreste destaca-se pelo cultivo do sisal e produção de bolsas, tapetes e artesanatos com este.

O regime de chuvas no Agreste é bastante irregular e são comuns as estiagens na região. Os rios são temporários, ou seja, secam nos períodos de menor índice de chuvas.

Sertão

Região nordestina que enfrenta as maiores dificuldades de desenvolvimento por conta do clima. A maior parte desta região está no chamado “polígono da seca”, espaço reconhecido pela Lei 175/36 (revisada em 1951 pela Lei 1.348).

Por esta razão, precisa de atenção governamental pelos índices de aridez intensos e por está sujeita à repetidas crises de prolongamento das estiagens, o que causa grandes danos para a economia e a população local.

A ocupação nesta sub-região acontece de forma mais esparsa, ou seja, menos pessoas por quilômetro quadrado do território.

A população do Sertão se concentra nos vales do Cariri e do São Francisco. As águas do São Francisco abastecem a população e possibilitam as atividades agrícolas e pecuárias.

A vegetação predominante na região é a Caatinga, e o regime de chuvas é baixo e irregular.

Estados da região Nordeste do Brasil

A região Nordeste do Brasil é constituída por nove estados, sendo eles: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Destes estados, a Bahia é o que possui a maior extensão territorial. O menor estado brasileiro está na região Nordeste, sendo ele o Sergipe.

As capitais destes estados são:

  • Alagoas: Maceió
  • Bahia: Salvador
  • Ceará: Fortaleza
  • Maranhão: São Luís
  • Paraíba: João Pessoa
  • Piauí: Teresina
  • Pernambuco: Recife
  • Rio Grande do Norte: Natal
  • Sergipe: Aracaju.

É na região Nordeste do Brasil que está a cidade que foi a primeira capital do Brasil, com a chegada dos portugueses ao território. Essa cidade é Salvador, capital da Bahia.

Mapa do Nordeste brasileiro

Mapa do Nordeste com seus estados e suas respectivas capitais (Foto: depositphotos)

Quais são os aspectos da região Nordeste?

A região Nordeste do Brasil é uma das cinco macrorregiões brasileiras e é a que apresenta o maior número de estados.

O Nordeste ocupa cerca de 18% do território brasileiro, e possui a maior costa litorânea do Brasil.

O espaço físico da região Nordeste é bastante diversificado, com climas, relevos, rios e vegetação importantes.

Além disso, a população nordestina é bem miscigenada, a cultura é riquíssima e a economia tem relação com cada uma das quatro sub-regiões.

Cultura

A cultura nordestina é fruto da miscigenação entre os povos que ocuparam e desenvolveram a região, especialmente indígenas, africanos e europeus. Com isso, há uma grande diversificação cultural na região.

Os costumes e as tradições são bastante variáveis de acordo com cada um dos estados.

As manifestações culturais nordestinas são muito expressivas na cultura brasileira como um todo, com importantes contos folclóricos e populares, bem como músicas e a literatura de cordel.

Além disso, o artesanato nordestino é um dos mais apreciados do Brasil, e consiste em importante fonte de renda para a população da região.

Comidas típicas

As comidas típicas regionais são variáveis também em conformidade com cada estado, mas algumas das principais comidas nordestinas são: tapioca, acarajé, vatapá, moqueca de peixe, camarão, buchada de bode, baião de dois, macaxeira (mandioca) e os frutos do mar em geral.

Também são comuns paçoca e doces de amendoim, caruru, carne-de-sol, queijo coalho, o mungunzá, o angu e o cuscuz de milho.

Danças típicas

Existem várias importantes festividades na região Nordeste do Brasil, sendo algumas delas o coco, xaxado, samba de roda, baião, xote, forró, axé e o frevo.

As danças são acompanhadas por músicas regionais, muitas das quais com temas que refletem a realidade nordestina.

São importantes festividades regionais o carnaval de rua, as festas juninas, o Bumba meu Boi, o Reisado ou Folia dos Reis, dentre outras.

População da região Nordeste do Brasil

A região Nordeste do Brasil é a segunda mais populosa, ficando atrás apenas do Sudeste.

Em 2018, a população nordestina estava estimada em 56.760.780 habitantes, com queda em relação ao ano de 2017, quando foram registradas 57.254.159 pessoas.

A Bahia é o estado com maior número de população na região, seguido de Pernambuco, Ceará e Maranhão.

Já o estado menos populoso da região Nordeste é o Sergipe, que é também o menor deles em extensão territorial.

Clima

Existem quatro tipos principais de climas na região Nordeste do Brasil, são eles:

  • Equatorial úmido: ocorre nos locais próximos da Linha do Equador, nas zonas de baixa latitude. Esse tipo de clima é marcado pela presença de elevadas temperaturas durante o ano todo, com expressivos índices pluviométricos. Isso ocorre por conta da elevada incidência de radiação solar direta nesta região
  • Litorâneo úmido: marcado por um regime de chuvas bem distribuído ao longo do ano e está presente na faixa litorânea brasileira que se estende do Sudeste ao Nordeste do país
  • Tropical: região quente e chuvosa do globo, estando presente entre os trópicos de Câncer e Capricórnio. É o clima predominante no território brasileiro, com ausência de uma estação fria
  • Tropical semiárido: é o clima do Sertão nordestino, com escassez e irregularidade de chuvas, ou seja, uma região bastante árida. As temperaturas são elevadas e os demais elementos são adaptados a estas condições (solos, vegetação, hidrografia).

Qual o bioma predominante na região Nordeste?

Existem vários tipos de vegetação na região Nordeste do Brasil, como Mata Atlântica, Mata dos Cocais, Cerrado, Caatinga, Vegetação Litorânea e Ciliares. Mas, o bioma mais expressivo dentro da região Nordeste é a Caatinga.

Esse tipo de bioma é exclusivo do Brasil, ocupando cerca de 850 mil quilômetros quadrados ou 10% do território nacional.

Vegetação da caatinga

Os cactos são espécies comuns na Caatiinga (Foto: depositphotos)

Esse bioma abrange a totalidade ou parte dos territórios dos estados do Ceará, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí. Além de pequenas áreas do estado do Maranhão e também de Minas Gerais (Sudeste).

O bioma do Cerrado é marcado pelos solos rasos, clima quente e as chuvas irregulares.

As espécies de plantas e animais que vivem na região possuem adaptações biológicas para suportarem as condições climáticas.

São plantas comuns na região: os cactos, a palma, o xiquexique, o mandacaru, a aroeira, o umbuzeiro, o juazeiro e o caroá.

Economia da região Nordeste do Brasil

A economia da região Nordeste do Brasil é diversificada, e depende de cada uma das sub-regiões e suas condições físicas.

Nas grandes cidades e capitais, destacam-se os setores de serviços, administrativo, financeiro e o turismo.

Ainda há áreas onde os setores petroquímicos, metalúrgicos e automobilísticos são destaques.

A região tem sido referência também na área da fruticultura irrigada, a qual tem levado desenvolvimento para áreas que antes não conseguiam se expandir.

A agricultura e a pecuária são desenvolvidas em pequenas e médias propriedades, com destaque para produção de cana de açúcar, algodão e café.

O extrativismo também é importante na economia regional. A economia nordestina é a terceira maior do país, atrás do Sudeste e do Sul.

Qual o PIB da região Nordeste?

O Produto Interno Bruto (PIB) da região Nordeste tem enfrentado dificuldades de crescimento nos últimos anos, sendo que desde 2018 ele vem crescendo menos do que a média brasileira.

Em 2018, o PIB do Nordeste foi de R$ 910,7 bilhões. O país como um todo teve um PIB de R$ 6,8 trilhões em valores correntes no ano de 2018.

O (PIB) é um indicador socioeconômico oriundo de um cálculo financeiro e que mostra a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país em um dado período de tempo.

O PIB regional está relacionado com o PIB total do país, mas mesmo assim algumas regiões podem ter um crescimento do PIB maior do que os demais.

Resumo

Estas são algumas das principais características da região Nordeste do Brasil:

  • Região que apresenta o maior número de estados
  • Primeira região do Brasil a ser conhecida e explorada pelos europeus: Porto Seguro, Bahia
  • Onde ocorreu a primeira atividade econômica brasileira: a extração do pau-brasil
  • Primeira sede do governo-geral do Brasil: Salvador, Bahia
  • Território corresponde a cerca de 18% do território brasileiro, com a maior costa litorânea
  • Climas: Equatorial Úmido, Litorâneo Úmido, Tropical e Tropical Semiárido
  • Hidrografia: Bacia do São Francisco, Bacia do Parnaíba, Bacia do Atlântico Nordeste Oriental, Bacia do Atlântico Nordeste Ocidental e Bacia do Atlântico Leste
  • Vegetação: Mata Atlântica, Mata dos Cocais, Cerrado, Caatinga, Vegetação Litorânea e Ciliares
  • Economia: destacam-se a agricultura, pecuária, indústria e turismo
  • É dividida em quatro subdivisões: Zona da Mata, Agreste, Sertão e Meio-Norte.
Referências

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Divisão Regional do Brasil: o que é“. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/divisao-regional/15778-divisoes-regionais-do-brasil.html?=&t=o-que-e. Acesso em 11 jul. 2019.

POLON, Luana. Estudo Prático. “Complexo Regional do Nordeste“. Disponível em: https://www.estudopratico.com.br/complexo-regional-do-nordeste/ . Acesso em 11 jul. 2019.

POLON, Luana. Estudo Prático. “Caatinga – Fauna, flora e outras características“. Disponível em: https://www.estudopratico.com.br/caatinga-fauna-flora-e-outras-caracteristicas/. Acesso em 11 jul. 2019.

VEDOVATE, Fernando Carlo. “Projeto Araribá: Geografia“. 3 ed. São Paulo: Moderna, 2010.

VESENTINI, José William. “Geografia: o mundo em transição“. São Paulo: Ática, 2011.

Fonte: Portal Estudo Prático / Terra

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: