fbpx

Russell desmente “clima ruim” com Hamilton: “Relação é completamente ok”

George Russell é a chance de reconstrução da Williams

Foto: Williams / Grande Prêmio

Sempre recheado de rumores, o paddock da Fórmula 1 levantou a possibilidade de uma rusga entre Lewis Hamilton, da Mercedes, e George Russell, da Williams. Tudo em razão de os dois não se falarem depois que o prodígio britânico substituiu o heptacampeão do mundo no GP do Sakhir de dezembro do ano passado.

No fim de semana do GP do Bahrein, Russell foi perguntado se havia conversado com Hamilton depois daquele fim de semana em que quase venceu o GP de Sakhir. E o titular da Williams disse que não teve contato com o maior vencedor da F1 em todos os tempos. “Não, nada. Mas nossa relação é boa, não há problemas. Não sei se esperava que ele falasse comigo após a corrida. Mas é aquilo: não sei como me sentiria se alguém me substituísse na Williams”, disse.

George Russell brilhou no GP de Sakhir pela Mercedes

George Russell brilhou no GP de Sakhir pela Mercedes

Foto: Mercedes / Grande Prêmio

Foi o que bastou para que o tema fosse novamente levantado nesta quinta-feira em Ímola, palco do GP da Emília-Romanha neste fim de semana. Questionado sobre o possível atrito com Hamilton, Russell tentou colocar panos quentes na situação.

“Creio que a pergunta a mim é sobre se eu conversei com Lewis depois do GP do Bahrein, e não, não conversamos, como não conversamos depois de qualquer outra corrida. Estamos correndo um contra o outro, se nos encontrarmos no paddock, podemos conversar. Já nos vimos esse ano, nos cumprimentamos rapidamente, e é o que acontece desde 2019, e no ano passado, antes do GP do Bahrein”, afirmou.

“Minha relação com o Lewis é igual a que tenho com muitos pilotos no paddock, que é completamente ok. Não tem nenhum sentimento ruim ou problemas entre mim e Lewis”, concluiu o piloto da Williams.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Semana passada, Toto Wolff, chefe de equipe da Mercedes, também comentou sobre o caso, relevando o possível atrito que, para ele, pode ser algo natural dentro da F1.

“É a primeira vez que eu ouço isso. Mas os sentimentos de meus pilotos são os últimos dos meus problemas. Porém, consigo imaginar essa situação por conta da competição entre os dois ser muito forte. Os mais experientes sempre sentem quando um jovem piloto promissor começa a ganhar destaque, e o George[Russell] é a nova geração”, comentou o dirigente austríaco em entrevista ao jornal local Österreich.

O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL o fim de semana do GP da Emília-Romanha de Fórmula 1.

Grande Prêmio

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais