Saiba como prevenir a fascite plantar

A fascite plantar é uma patologia cujos efeitos limitam muito a vida das pessoas que sofrem dela. Não conseguir andar sem sentir uma dor latejante na planta do pé é algo realmente desconfortável. Vejamos o que podemos fazer para evitar esse problema.

Fascite plantar

Vamos começar nos lembrando do que é a fascite plantar. Assim como qualquer patologia que termina em ‘-ite’, estamos diante de um problema que apresenta uma inflamação. Neste caso específico, a inflamação da fáscia plantar.

A fáscia plantar é um tecido elástico que vai desde o osso do calcanhar – o calcâneo – até a área dos metatarsos dos dedos do pé. Portanto, ela cobre praticamente a planta do pé inteira. A sua função é a de manter o arco do pé ao caminhar, bem como absorver e distribuir as forças exercidas sobre os pés enquanto estamos em pé.

Causas e prevenção

Para entender como prevenir uma lesão, precisamos conhecer as causas que a produzem.

Causas

No caso da fascite plantar, as causas geralmente estão relacionadas à sujeição da fáscia plantar a esforços excessivos:

  • Uso excessivo. Os corredores de longa distância são os que mais sofrem com esse problema. Passar longos períodos exigindo a fáscia ao máximo faz com que as dores apareçam.
  • Correr em terrenos irregulares. Outra maneira de sobrecarregar a fáscia é fazê-la trabalhar com mais intensidade. Nesse caso, um terreno irregular forçará a fáscia a permanecer estável enquanto é empurrada e pressionada a partir de vários ângulos.
  • Curvaturas do pé. Um pé cavo, ou seja, que apresenta curvatura excessiva, também nos predispõe a sofrer de fascite plantar.
  • Excesso de peso. Quanto maior o peso, maior a força que exercemos sobre a fáscia plantar e, portanto, isso também pode motivar o aparecimento dos sintomas.

Prevenção da fascite plantar

Levando em consideração tudo o que foi exposto anteriormente, vamos entender melhor as recomendações a seguir para evitar o aparecimento da fascite plantar.

Primeiramente, devemos tentar alternar a corrida com outros exercícios, tais como andar de bicicleta, nadar ou fazer circuitos ou outras formas de exercício na academia ou em casa.

Além disso, também é preferível correr em superfícies lisas e macias. Assim, é preferível não correr sempre no asfalto, pois a sua rigidez terá impactos na fáscia e nos joelhos.

Calçado adequado

Finalmente, também em relação à corrida, devemos nos certificar de usar calçados adequados, o que nos leva ao próximo ponto: conhecer a nossa fisiologia.

É conveniente fazer um estudo da nossa pisada. Saber se nos apoiamos mais de um lado ou de outro, ou se temos um pé excessivamente curvado ou chato nos indicará que tipo de calçado comprar e se precisamos usar palmilhas corretivas.

Caso contrário, podemos estar prejudicando o nosso corpo sempre que corrermos ou caminharmos sem saber disso.

Também é importante que não passemos muito tempo em pé no nosso dia a dia. A menos que sejamos forçados pelo trabalho, não é bom passar longas horas em pé, causando assim uma pressão constante sobre a fáscia.

Alongamento para a fascite plantar

Imagem: trailrun.es

Isso é ainda mais importante se estivermos acima do peso, que devemos tentar reduzir se quisermos evitar este e também muitos outros tipos de problemas.

Da mesma forma, é interessante alongar os músculos das pernas e da própria fáscia. Nesse sentido, o alongamento das panturrilhas e do sóleo ajudará a manter os músculos saudáveis e o tendão de Aquiles preparado para resistir aos esforços quando exigido.

Em última análise, temos a fisioterapia. Além de recomendar exercícios e alongamentos, o fisioterapeuta também possui vários métodos para ajudar a relaxar os músculos e a fáscia, incluindo técnicas de termoterapia/crioterapia e eletroterapia.

Além disso, e isso também pode ser feito por nós mesmos em casa, massagear a planta do pé adequadamente também ajuda a prevenir lesões.

!function (f, b, e, v, n, t, s) {
if (f.fbq) return;
n = f.fbq = function () {
n.callMethod ?
n.callMethod.apply(n, arguments) : n.queue.push(arguments)
};
if (!f._fbq) f._fbq = n;
n.push = n;
n.loaded = !0;
n.version = ‘2.0’;
n.queue = [];
t = b.createElement(e);
t.async = !0;
t.src = v;
s = b.getElementsByTagName(e)[0];
s.parentNode.insertBefore(t, s)
}(window, document, ‘script’,
‘https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
fbq(‘init’, ‘1677839712495774’);
fbq(‘track’, ‘PageView’);
fbq(“trackCustom”, “ViewMSContent”, {content_cat7: basePageAttr.category, content_tags: basePageAttr.tags})

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: