Saiba como responder perguntas com segurança

Oi, Speaker! Tudo bem?

Nas suas apresentações em público, você costuma reservar um tempo para que o público faça perguntas?

Caso a sua resposta for negativa, saiba que interagir com as pessoas da plateia é uma técnica essencial em exposições orais, já que rompe com a ideia de que a apresentação em público é apenas um espaço de fala para o comunicador – excluindo a audiência dessa troca.

Se bem é verdade que existem outras boas técnicas para criar interação com a audiência, o espaço para perguntas e respostas tem outras funções, como, por exemplo, a de estabelecer um vínculo com o público, tirar dúvidas ou expandir um pouco mais algum tema que, por ventura, tenha sido abordado rapidamente.

Mesmo sabendo de tudo isso, alguns comunicadores se sentem receosos em relação às perguntas da plateia e optam, inclusive, por não reservar um espaço para elas em suas apresentações.

No entanto, conhecendo as técnicas para responder perguntas com segurança e, ainda, tendo em mente alguns cuidados, esse momento será valioso. E não apenas para o público, mas também para o comunicador!

Veja, aqui, algumas técnicas e cuidados para a hora de perguntas e respostas com o seu público e passe a incluir essa interação em suas próximas falas! Boa leitura!

Inclua o espaço para perguntas na programação

Geralmente – e especialmente quando a apresentação faz parte de um evento, como uma conferência –, o comunicador precisa informar a programação da sua fala, atentando-se, sobretudo, para o tempo de duração de cada uma das atividades planejadas.

É importante indicar que haverá um espaço para perguntas ao final da sua fala, já estabelecendo um limite de tempo para isso. De modo similar, logo no início da sua exposição, informe também ao público que você reservou um espaço de perguntas, evitando, assim, ser interrompido no meio de um raciocínio.

Esteja informado sobre o assunto principal da sua fala

Mesmo se você se considerar um especialista no tema da sua apresentação, é indispensável reservar um tempo para se atualizar, se informar sobre argumentos de outros especialistas (inclusive, se forem contrários aos que você defende) e se munir de dados relevantes e corretos.

Você já ouviu o ditado que diz “contra fatos, não há argumentos”? Pois bem, se houver a necessidade de contra-argumentar com alguém da plateia, ter um embasamento teórico forte e atualizado será indispensável.

Em suma, para responder perguntas com segurança, você precisa estar bem informado e seguro sobre tudo o que defender, ok?

Evite respostas longas: seja assertivo!

As perguntas do público vêm depois de que você, comunicador, já fez a sua exposição oral, correto? Então tenha em mente que o tempo de falas longas já foi utilizado e que, nas respostas para o público, você deverá ser ainda mais direto, evitando abordar temas que não estejam diretamente relacionados à resposta em questão e argumentando da forma mais clara e direta possível.

Aliás, esse cuidado é uma técnica eficaz para evitar que discussões saiam do controle e que outras pessoas sejam impedidas de fazer suas perguntas pelo tempo destinado a uma única resposta. Vale lembrar que ser direto nas respostas é um cuidado para manter o raciocínio lógico e ser prudente em suas colocações.

Você é o mediador da discussão. Não se esqueça disso!

No espaço destinado às perguntas do público, o comunicador continua sendo o elemento principal e cabe a ele mediar tempos, conflitos e tudo o que for necessário. Isso quer dizer que, além de se preocupar com o conteúdo das suas respostas, você deverá se preparar para impor limites quando preciso ou, ainda, atuar para que a discussão seja apenas de ideias – e não se transforme em um confronto pessoal.

Mesmo que não sejam a maioria, existem os chamados “ouvintes hostis”, que têm o propósito de fazer perguntas e questionar o conteúdo apresentado pelo comunicador com o intuito principal de criar discussões pejorativas ao invés de um debate saudável de ideias. Saiba identificar esse tipo de ouvinte e, mantendo a calma, imponha limites para manter o respeito a você e aos demais.

Não se limite a repetir o que você já disse!

Muitas vezes, perguntas do público são resultados de trechos que não foram totalmente compreendidos durante a apresentação. Por isso mesmo, repetir – da mesma forma – o que você já disse na sua exposição oral não acrescentará nada, não é mesmo?

Nesses casos, será preciso transformar o complexo em simples, utilizado técnicas como a storytelling para aproximar o conteúdo a esse ouvinte que ainda tem dúvidas, eliminando, com isso, mal-entendidos e fortalecendo a sua performance como comunicador.

 

Espero que este artigo tenha sido útil! Se ainda tiver alguma dúvida, entre em contato com a gente!

Fonte:

The Speaker

  • separator

Fonte: TERRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: