fbpx

Semana Nacional da Educação Financeira: hora de mudar comportamentos

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Endividamento, inadimplência, bola-de-neve financeira e problemas com dinheiro. Infelizmente, tudo isso é muito comum no Brasil, já que grande parte da população não tem educação financeira.

Por este ser um assunto tão relevante e necessário, existe a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), que entre os dias 8 e 14 de maio promove a 4ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF).

Durante esta semana, diversas ações são realizadas para disseminar a educação financeira e conscientizar o maior número de pessoas, as levando questionar a sua relação com o consumo e melhorar hábitos e comportamentos.

Mesmo com todo este destaque, para muitos, ainda hoje, a educação financeira é um conceito abstrato, difícil de ser incorporado no dia a dia. Mas ela vem sendo cada vez mais requisitada e praticada no Brasil. Para se ter ideia, cerca de 1.500 escolas em todo o País oferecem o tema em sua grade curricular para crianças e jovens, com a metodologia DSOP.

Isso porque é na infância que acontecem os primeiros contatos com o dinheiro – tanto na observação do comportamento dos pais quanto ao administrar pequenas quantias que passam por suas mãos – que se transformam em hábitos e comportamentos levados por toda a vida.

Por isso é importante aprender, o quanto antes, que o dinheiro é um meio para realizar sonhos, e não um fim. Veja, não se trata de uma discussão voltada ao capitalismo, e sim sobre atitudes que levarão as novas gerações a terem consciência e sustentabilidade financeira.

Nesta etapa, busca-se ensinar, de forma lúdica e prazerosa, o quanto é importante ter objetivos, fazer escolhas e que nada é mágico, porém, tudo é possível, desde que o dinheiro seja usado com foco e sabedoria.

Como poucos adultos tiveram esses ensinamentos na infância, há diversos recursos de educação financeira voltados tanto para pessoas físicas quanto jurídicas, cuja procura é crescente no Brasil.

Nos últimos dois anos, em meio ao agravamento da crise financeira e do desemprego, a participação nos cursos DSOP de educação financeira aumentou em 75% – considerando workshops, cursos presenciais e EaD, entre outros.

Enfim, oportunidades não faltam para se educar financeiramente e colher os frutos de uma mudança comportamental. Além da minha coluna aqui no InfoMoney, você também pode encontrar muito conteúdo no site da DSOP Educação Financeira (www.dsop.com.br). Aproveite a ocasião e melhore a sua vida financeira.

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney ou de seus controladores.

Fonte: INFOMONEY

Jornais Virtuais