fbpx

Sentir muito sono pela manhã pode ser indício de Alzheimer

Você sente muito sono durante sua rotina e isso tem atrapalhado seu desempenho? Muita gente simplesmente ignora essa sonolência, achando que basta algum tempo a mais na cama ou boas doses de café para solucionar o problema. Porém, um novo estudo indica que sentir sono constante pela manhã pode indicar maiores chances de Alzheimer no futuro.

Mulher com sonolência durante o expediente – Foto: Shutterstock

Foto: Foto: Shutterstock / Minha Vida

Como foi feito o estudo

O estudo, desenvolvido por cientistas do Departamento de Radiologia da Mayo Clinic (organização de pesquisas médicas), selecionou 283 participantes a partir dos 70 anos e sem indícios de doenças neurodegenerativa, como o próprio Alzheimer.

Os voluntários foram submetidos a cinco categorias de testes entre 2009 e 2016:

  • Avaliação cognitiva: histórico sobre doenças, nível de escolaridade, ocupações profissionais e exames para detecção de déficits visuais ou auditivos.

Resultados

Conclui-se que a sonolência diurna excessiva está relacionada ao acúmulo de amiloides, uma proteína que retém as células nervosas no cérebro e é bastante presente em pessoas com Alzheimer.

Ao dormir, o cérebro reduz o acúmulo de amiloides, minimizando as chances de demência. Na pesquisa, cientistas apontam que quem sente mais sono pela manhã apresenta maior depósito desta proteína – tendo riscos mais altos de desenvolverem Alzheimer no futuro.

Aos autores do estudo, a descoberta identifica outros sintomas ao Alzheimer, de forma a alertar o público que, ao sinal de sonolência frequente durante o período diurno e distúrbios do sono, é melhor consultar um médico para realizar exames e prevenir a doença.

Como prevenir o Alzheimer

Outro estudo, desta vez feito por pesquisadores de São Francisco (EUA), revela que mais de 50% dos casos de Alzheimer podem ser prevenidos com mudanças no estilo de vida. Fatores como sedentarismo, depressão, tabagismo, diabetes, hipertensão e obesidade estão diretamente ligados a maiores índices da doença.

O nutrólogo Wilson Rondó dá dicas para prevenir a Doença de Alzheimer:

  • Preferir vegetais frescos a açúcar e grãos.
  • Ingerir ômega 3, principalmente com alta concentração de DHA e EPA.
  • Consumir antioxidantes, como alimentos ricos em vitamina C.
  • Exercitar-se.
  • Procurar seu dentista para desintoxicar seu corpo em relação ao mercúrio.
  • Evitar contato com alumínio, como desodorantes e panelas de alumínio.
  • Exercite sua mente: palavras-cruzadas, tocar instrumentos e viajar são ótimos para estimular o raciocínio.
  • Avaliação do sono: questionários sobre a duração do sono, sonhos, ronco ou asfixia ao dormir, apneias, cãibras nas pernas antes de dormir e sonambulismo.

-Avaliação clínica: análise do índice de massa corporal (IMC), histórico de tabagismo e depressão e frequência de atividade física.

  • Avaliação de imagem: realização de exames de imagem, como tomografia.

– Avaliação estatística: após as demais etapas de avaliação acima, os pesquisadores compararam as informações obtidas dos participantes.

Minha Vida

  • separator

Fonte: PORTAL TERRA – VIDA E ESTILO

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!