fbpx

Será que vale a pena estudar no dia da prova do concurso?

Confira nesse artigo informações sobre neuroaprendizagem e dicas de como estudar no dia da prova.

Olá, pessoal, tudo bem?

Hoje, vamos falar um pouco sobre uma questão que divide opiniões no mundo dos concursos: o candidato deve ou não deve estudar no dia da prova de concurso público?

Para uma melhor análise do assunto, trataremos dos seguintes tópicos:

  1. Paralelo homem x máquina
  2. Como funciona o processo de aprendizagem?
  3. Dicas de como estudar no dia da prova
  4. Dica de leitura
  5. Considerações finais

1. Paralelo homem x máquina

Imagem de uma memória RAM

Importância da memória RAM

Antes de mais nada, recorramos a algo que utilizamos praticamente todos os dias em nossos dispositivos eletrônicos: a memória RAM.

Em contraste com a memória fornecida pelo disco rígido (HD), a memória RAM é um dispositivo que fornece um espaço temporário de armazenamento de informações, sendo que, quando desligamos o computador, tais informações são zeradas desse dispositivo.

Para que os valiosos dados não se percam, é necessário que salvemos eles no HD. Desse modo, podemos ter acesso aos dados independentemente de o computador estar ligado ou não.

Em suma, a memória RAM se preocupa, prioritariamente, com as tarefas que ocorrem no momento, enquanto o HD armazena dados que podem ser usados agora ou daqui a alguns anos.

Enfim, você pode estar se questionando o porquê de eu estar trazendo essas informações, certo? No tópico a seguir, as coisas ficarão mais claras.

2. Como funciona o processo de aprendizagem?

Semelhantemente a um computador, o nosso cérebro também tem áreas de armazenamento de curto e de longo prazo.

Caso toda informação que recebemos diariamente fosse armazenada em nossa memória de longo prazo, o HD do cérebro ficaria cheio muito rapidamente e, dessa maneira, entraria em pane.

Assim sendo, o nosso cérebro filtra o que deve passar da memória de curto prazo para a de longo prazo e o que deve ser descartado. Para falar sobre essa filtragem, abordaremos o conceito de curva de esquecimento.

Curva de esquecimento

No intuito de manter o ser humano sempre apto a novas interações com o ambiente, o cérebro promove processos de backup de informações importantes e de descarte de dados que não estão sendo mais sendo úteis.

Nesse sentido, Hermann Ebbinghaus, um dos grandes contribuidores da psicologia, propôs o conceito de curva de esquecimento, retratado na figura a seguir:

Curva de esquecimento e retenção, proposta por Hermann Ebbinghaus. Pode ser uma aliada no dia da prova.
Curva de esquecimento e retenção, proposta por Hermann Ebbinghaus

Basicamente, Ebbinghaus aponta que o ser humano tem a retenção de certo conhecimento diminuída com o passar do tempo. Desse modo, o pensador nos indica que o processo de revisão sobre um assunto é uma importante ferramenta de memorização dos conteúdos.

Em outras palavras, se você tem um contato inicial com uma informação e, depois, demora muito tempo até revê-la novamente, você irá ter de começar quase do zero ao estudar novamente essa informação.

Por outro lado, ao promover revisões periódicas de um assunto, você aumenta o nível de retenção do conhecimento, podendo chegar ao ponto de reter um assunto, mesmo que não tenha contato há anos com ele.

Dos estudos de Hermann Ebbinghaus, surgiu um modelo que é amplamente utilizado e difundido no ramo dos concursos: o modelo que propõe a revisão de um assunto um dia, uma semana e um mês após o contato inicial com determinado conteúdo. Dessa forma, o processo de retenção é otimizado, aumentando, assim, as chances de o aluno lembrar de um assunto durante a sua prova.

Para mais informações sobre neurociência e o mundo dos concursos, acesse o artigo “Como Estudar para Concursos? (Segundo a neurociência)”.

É possível aprender algo ao estudar no dia da prova?

Conforme demonstrado na curva de esquecimento, é possível reter conhecimento estudando no dia da prova. Contudo, essa retenção é muito frágil, caso seja o seu primeiro contato com determinado assunto.

Então, devemos ser muito seletivos ao escolher o assunto a ser estudado no dia da prova.

3. Dicas de como estudar no dia da prova

Com a finalidade de melhor utilizar o estudo antes da prova, serão dadas algumas dicas de preparação para esse momento tão importante.

É necessário estudar no dia da prova?

Primeiramente, já vimos que é possível aprender algo no dia da prova, mas, de fato, não é estritamente vital que você assim o faça.

Você, provavelmente, deve conhecer concurseiros bem-sucedidos que preferem descansar o cérebro no dia do certame, realizando atividades mais ligadas ao relaxamento. Em contrapartida, também são comuns casos de candidatos aprovados em concursos de alto nível que gostam de revisar o conteúdo do certame até o último segundo disponível.

No dia da prova, o candidato deve buscar descansar o cérebro.
O candidato deve buscar ir para a prova com o cérebro descansado

Não nos cabe afirmar qual modelo é o ideal. Todavia, faz-se necessário pontuar que o cérebro humano, assim como um carro, necessita de combustível para desempenhar suas atribuições.

Dessa forma, escolhendo estudar no dia da prova, devemos privilegiar revisões leves, no intuito de apenas aquecer os motores, e, assim, guardar energia que você, decerto, precisará utilizar durante a prova.

Acima de tudo, o que definirá a sua aprovação é o esforço de preparação que você empregar nos meses anteriores ao exame, esteja certo disso.

Que assunto o aluno deve estudar no dia da prova?

Em primeiro lugar, o candidato deve fazer um exercício de autoanálise para avaliar quais são os seus pontos fortes e fracos em sua preparação para um certame. Aliás, esse é um processo que deve ser feito constantemente, com a finalidade de fazer uma gestão de tempo mais adequada.

Se o aluno domina uma matéria, será que é tão relevante assim revisá-la no dia? Em contrapartida, se o aluno nunca viu uma matéria, ele irá aprender em somente uma hora no dia da prova?

Nesse momento, é preciso pensar estrategicamente. Por isso, sugerimos que o concurseiro estude uma matéria que ele vem tendo dificuldade, mas que já tenha certa familiaridade. Dessa forma, o estudo será mais produtivo, uma vez que o decaimento da retenção do conhecimento é mais lento em assuntos que já estudamos.

Os resumos podem ser grandes aliados no estudo no dia da prova

Dado o tempo escasso, o aluno deve privilegiar o estudo por resumos, pois, assim, conseguirá rever pontos principais de um assunto de maneira rápida e eficiente.

Por fim, para aqueles que não gostam de fazer resumos, as aulas do Estratégia, em geral, contam com resumos elaborados pelos professores, o que pode ser uma boa pedida nessa hora.

4. Dica de Livro

Ademais, gostaríamos de deixar uma dica de leitura que, além de agradável, cabe perfeitamente no assunto. Trata-se do livro “O Poder do Hábito”, escrito por Charles Duhigg.

Livro "O poder do hábito" de Charles Duhigg.
Livro “O poder do hábito” de Charles Duhigg

Segue uma breve sinopse do livro:

 “Durante os últimos dois anos, uma jovem transformou quase todos os aspectos de sua vida. Parou de fumar, correu uma maratona e foi promovida. Em um laboratório, neurologistas descobriram que os padrões dentro do cérebro dela mudaram de maneira fundamental.

Publicitários da Procter & Gamble observaram vídeos de pessoas fazendo a cama. Tentavam desesperadamente descobrir como vender um novo produto chamado Febreze, que estava prestes a se tornar um dos maiores fracassos na história da empresa. De repente, um deles detecta um padrão quase imperceptível – e, com uma sutil mudança na campanha publicitária, Febreze começa a vender um bilhão de dólares por anos.

Um diretor executivo pouco conhecido assume uma das maiores empresas norte-americanas. Seu primeiro passo é atacar um único padrão entre os funcionários – a maneira como lidam com a segurança no ambiente de trabalho -, e logo a empresa começa a ter o melhor desempenho no índice Dow Jones.

O que todas essas pessoas têm em comum? Conseguiram ter sucesso focando em padrões que moldam cada aspecto de nossas vidas. Tiveram êxito transformando hábitos. Com perspicácia e habilidade, Charles Duhigg apresenta um novo entendimento da natureza humana e seu potencial para a transformação.”

Sem dúvida, esse livro traz uma abordagem muito interessante relativa ao processo de formação de hábitos. Dessa forma, a obra pode auxiliar o aluno a melhorar a sua rotina de estudos e, também, a conhecer melhor os mecanismos de memorização empregados pelo cérebro.

5. Considerações finais

Nesse artigo, buscamos trazer informações e dicas sobre o estudo no dia da prova. Como quase tudo na vida, não existe uma fórmula secreta que deve ser aplicada a todos.

Todavia, é importante que o aluno busque estar com a mente o mais descansada possível para o concurso. Afinal, você, candidato, percorre uma maratona de preparação e não pode ficar sem pernas na reta de chegada, não é mesmo?!

Ademais, outro ponto a ser considerado é a ansiedade. Muitos candidatos ficam mais tranquilos dando uma breve revisada no assunto na data da prova. Por outro lado, outros preferem atividades mais relaxantes.

Assim, a dica é descobrir o que faz você mais tranquilo para a prova. Afinal, o psicológico tem um enorme peso na hora do concurso.

Por fim, independentemente de estudar no dia ou não, se você se preparou de maneira adequada, a aprovação vai estar lhe esperando na linha de chegada.

Desejo paz, saúde e sucesso a todos.

Um grande abraço!!

Assinatura Anual Ilimitada*

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país. Assine agora a nossa Assinatura Anual e tenha, desse modo, acesso ilimitado* a todos os nossos cursos.

ASSINE AGORA – Assinatura Ilimitada

Fique por dentro de todos os concursos:

Concursos abertos

Concursos 2020

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!