fbpx

“Tenho minha vida, minha carreira bem bonita lá fora…” Será? Glamurama analisa o tombo feio de Karol Conká no BBB21 – Notas – Glamurama

Karol Conká no BBB21 / Crédito: Divulgação

“Tenho minha vida, minha carreira bem bonita lá fora…”, disse Karol Conka depois de proferir palavras de baixo calão e pedir que o participante Lucas Penteado do BBB 21 saísse da mesa enquanto ela almoçava, no episódio que foi ao ar nessa segunda-feira. A pergunta que todos se fazem agora é: Será que a ‘carreira bonita’ da rapper está a aguardando aqui fora mesmo?

Para tentar entender tudo isso, vamos do começo. Com o sucesso alcançado na edição do reality de 2020, a fórmula de chamar artistas e influenciadores digitais (grupo camarote) junto de pessoas anônimas (grupo pipoca) foi repetida pela direção do reality global. Karol Conka foi uma das participantes do BBB21 mais festejadas por quem está dentro e fora do programa, já que aos 34 anos, a artista é conhecida como uma rapper renomada e dona de discursos feministas e a favor de minorias. Mas, pouco mais de uma semana depois do confinamento, ela se tornou personagem principal de uma mobilização intensa do público.

Por ser mulher negra e mãe solteira de Jorge Conká, que tem 15 anos, esses assuntos, assim como o empoderamento, são pautas de suas músicas e discursos. Quer exemplos: as canções ‘É o Poder’, ‘100% Feminista’, ‘Bem Sucedida’ e ‘A Mão que Aponta’, em que Conká fala sobre questões sociais em letras que abordam ‘parar de condenar’ e repetir o trecho ‘a mão que aponta é a mesma que vai aplaudir’. Ironicamente, o que mais a artista tem feito no programa é apontar, da maneira mais negativa possível, os outros participantes.

Um dos primeiros ‘alvos’ de Karol Conká foi a advogada paraibana Juliette, que assim que entrou no BBB tentou engatar um romance com Fiuk. Aos poucos, o filho de Fabio Jr. foi desviando das investidas da participante e em certo momento até se mostrou incomodado com a insistência dela. A situação foi o suficiente para que Karol começasse uma espécie de perseguição com a integrante do grupo pipoca. Os primeiros discursos da cantora foram tidos como xenofóbicos ao imitar, com deboche, o sotaque de Juliette e falar que o povo paraibano não tem educação ao conversar. “Eu tenho pavor de gente egoísta, sem educação”, começa a cantora. Em seguida, ela usa palavras em que coloca ênfase no final, imitando o sotaque da garota. “Gente elegante, sufocante, delirante…”. A situação arranca risadas de Fiuk, enquanto Gilberto, que é pernambucano, parece constrangido e se mantém quieto. “Eu tenho vontade de fazer assim: que que é, ô bosta?”, finalizou a cantora.

Em um dos vídeos, Conká tenta justificar suas falas por ser curitibana e ter nascido em uma cidade ‘reservada’. “Eu tenho meu jeito brincalhão, mas eu não invado, não desrespeito o espaço do outro”, comenta Conká. É importante dizer aqui que Juliette não cometeu grandes erros dentro da casa e nunca fez um ataque pessoal a Conká nem a qualquer outro participante.

Ainda em outro momento, a artista apareceu com o ego nas alturas e foi até a academia separar o emoji de Juliette dos demais participantes com o intuito de deixar a ‘sister’ sozinha e excluída. Além disso, Karol ainda disparou que ‘Juliette mancha a reputação da Paraíba’ e é ‘aquele tipinho de mulher’, jogando todo o seu feminismo e sororidade pelo ralo do Big Brother Brasil. A rapper também alimentou fofocas distorcidas contra Juliette e manipulou a casa contra a paraibana.

Mas nada é tão ruim que não possa piorar. Na segunda festa do Big Brother Brasil, na sexta-feira passada, Lucas Penteado protagonizou uma grande briga na casa e, por isso, tem sido evitado pelos outros participantes. Alguns, como Camilla de Lucas, chegaram até mesmo a conversar com o ator depois da briga, apontando os erros e explicando o que deixou os envolvidos chateados.

Se o erro de Lucas é algo que não podemos negar – e nem temos essa intenção -, a maneira absurda como Karol Conká vem tratando o ator, muito menos. Nas redes sociais, a cantora tem gerado a revolta do público e trazendo à tona discussões como empatia, em especial com quem possui problemas psicológicos. A rapper chegou a dizer que torturaria Lucas, da mesma forma que estava fazendo com Juliette. Algumas palavras como ‘bosta’ e ‘podre’ foram ditas por ela em relação ao colega de confinamento.

Em uma das cenas mais surreais do programa, Conká expulsa Lucas da mesa do almoço. “Quero comer na paz do senhor, entendeu? Não quero que você fale enquanto estou comendo. Me respeita”, disse. Acuado, o participante questionou se era ele o alvo. Karol prosseguiu: “se não sabe calar a boca, melhor sair mesmo”. O rapaz ainda tentou pedir desculpas, apesar de não estar fazendo nada de errado no momento. Sem conversa, Conká disparou: “vá cagar, vá à merda”.

Durante esses dias, ela também chamou, injustamente, Lucas Penteado de ‘estuprador’, comparando os fãs do rapaz com os do goleiro Bruno, condenado por assassinar a ex-companheira Eliza Samudio. Além de, em diversos momentos, tratar o rapaz com grosseira e falar mal dele para todos da casa, inflamando ainda mais os ânimos, acuando as pessoas em torno e isolando o ator dos demais participantes.

Nessa segunda-feira, antes do jogo da discórdia, Conká também disse para Lucas: “Você não olhe pra mim cara, vira essa bosta dessa cara pra lá. Isso, respeita a mamacita”. Do nada!

Separar as várias cenas em que Karol Conká abusou psicologicamente de Juliette e principalmente de Lucas Penteado é quase impossível, já que não estamos falando de um ou dois momentos pontuais, mas de infinitas vezes em que a empatia passou longe das atitudes da cantora.

Também não é sobre passar pano nos erros de Lucas Penteado. É sobre manipular participantes, agredir psicologicamente, humilhar e fazer questão de perseguir e torturar alguém que, como muitos que já passaram pelo Big Brother Brasil e erraram, não merecem ser tratados com tanta crueldade. Não à toa, os seguidores de Conká vem caindo bruscamente nas redes sociais, enquanto Juliette e Lucas seguem crescendo, já ultrapassando os números da própria rapper.

A surpresa em relação às atitudes de Conká não se deu apenas com os seus fãs, que jamais imaginavam que a cantora teria tantos comportamentos tóxicos. Mesmo quem acompanhava pouco o dia a dia da artista nas redes se viu negativamente em choque. Por isso, Glamurama ousa dizer nunca se viu nada tão horrendo no reality em 20 anos de atração.

Fora da casa, o comportamento de Karol tem gerado muito mais do que revoltas, mas problemas reais em sua carreira. A cantora teve apresentação cancelada no Festival Rec-Beat. A participação de Conká já havia sido gravada antes do BBB, mas ainda não exibida, e nem será. Nessa segunda-feira, a GNT também desistiu de exibir o programa ‘Prazer, Feminino’, que Karol gravou ao lado de Marcela McGowan, do BBB20. Segundo fontes do canal, a decisão é para ‘não compactuar com a cultura do cancelamento’. Inclusive, o Grupo Glamurama já teve uma experiência negativa com Karol Conká, que foi capa da edição de aniversário da revista J.P de 10 anos, em 2016, ao lado de Emicida e Taís Araújo.

O termo ‘cultura do cancelamento’ tem sido muito usado nos últimos anos. Vale dizer que cancelamento é o que Conká tem feito dentro da casa com os participantes Lucas Penteado e Juliette, impedindo que eles demonstrem  arrependimento pelos fatos e erros cometidos e evoluam. Aqui fora, a atitude da cantora tem sido questionada com coesão, afinal, situações de abuso que colocam o psicológico de outras pessoas em risco devem ser repudiadas.

No Twitter e Instagram, amigos do meio musical de Conká tem se posicionado contra. É o caso de Emicida, Ludmilla e Jojo Todynho.

A assessoria de Karol Conká chegou a escrever uma nota sobre todo o acontecido, o que não funcionou para o público que está aqui fora acompanhando o show de horrores protagonizados por ela. No texto, que começa com “Vamos bater um papo?”, a assessoria fala muito mais sobre as críticas recebidas por Conká nos últimos dias ao invés de explicações sobre as atitudes abusivas dela. O que não faltaram, diante desse contexto, foram mensagens sobre como nada justifica a forma como ela trata os participantes dentro da casa, que viraram seu saco de pancada. “Nesse momento o que assessoria tinha que tá pensando em fazer, era ver como tá a família do Lucas, entrar em contato e prestar apoio e não tentar defender o indefensável”, escreveu um internauta. “Sai dessa bolha e para de achar que tudo é cancelamento, agir assim trata questões sérias como se fossem meras brincadeiras. Entenda que a Karol está desumanizando uma pessoa ali dentro, tratando como se fosse um bicho”, comentou outro.

Após o jogo da discórdia nessa segunda à noite, ao vivo, em que Tiago Leifert incitou os participantes a falarem tudo aquilo que estava ‘engasgado’ e afirmar quem eram os ‘canceladores’ do BBB 21, Karol chegou a sentir que algo no seu comportamento não estava sendo aprovado pelo público e já anunciou para alguns participantes que mudaria a estratégia e seria mais ‘boazinha’. Será que é tarde demais para isso?

Mesmo que isso aos poucos venha caindo por terra, é necessário falar que o aprendizado de Karol não deve ocorrer somente por conta das críticas do público, mas por ela entender seus erros e buscar melhorar de maneira genuína. Enquanto isso não acontece, a sua participação tem feito jus a um trecho de uma de suas músicas: “Se é pra tombar, tombei”. E o tombo foi feio!

Atualização: Após ser ‘ignorada’ por Tiago Leifert ao tentar falar mais no programa de segunda, Karol revelou para outros jogadores que mudaria a tática. Na manhã desta terça-feira, a cantora pediu desculpas para Lucas Penteado e Juliette, que rebateu algumas falas da rapper dizendo que foi perseguida por ela em diversos momentos. No Twitter, um dos assuntos mais comentados do momento é a tag em que acusam Karol de falsidade. Como dissemos em outro trecho no texto, a mudança deve ser verdadeira, e não apenas por uma estratégia de jogo ou medo das críticas. Assista ao vídeo do momento.

*Em tempo: O Big Brother Brasil sempre tem os seus queridinhos e aqueles participantes que o público não vê a hora de tirar da casa por diversos motivos que envolvem o jogo. Em 2020, a edição do reality entrou para o Guinness Book como o programa de televisão que recebeu a maior quantidade de votos do público no paredão que colocava frente à frente Manu Gavassi e Felipe Prior com mais de 1,5 bilhão de votos. Na edição 2020 do programa, em específico, várias discussões vieram à tona, como machismo, masculinidade tóxica e racismo. Ao longo de toda a vigésima edição, acompanhamos discursos problemáticos de Marcela, Daniel, Gisele e Ivy. Apesar de todos os erros vistos em rede nacional, o Big Brother voltou a ficar em alta e, logo no começo de 2021, não se falava em mais nada a não ser na estreia do reality, que aconteceu no dia 25 de janeiro.m (por Jaquelini Cornachioni / colaboração de Fernanda Grilo)

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.4&appId=1409357522615229″;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Glamurama

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais