fbpx

“Trump vai destruir a escalada em rocha”

Se você vive em uma bolha de plástico, isolado de todos os assuntos do mundo, deve estar sabendo que eleições norte-americanas estão se aproximando. Por ser a nação mais poderosa e rica do planeta, qualquer que seja o resultado, ele irá impactar a sua vida como cidadão e como praticante de montanhismo.

Muito se diz sobre as influências que o mandato presidencial de Donald Trump, especialmente para o Brasil. Repare que a presidência de nosso país já se declarou fã do milionário norte-americano. Além disso, depende da eleição norte-americana que tipo de investimento e contratos de exportação irão prevalecer daqui para frente.

Portanto, o valor do Dólar em relação ao Real (que é o que interessa para quem viaja para praticar seu esporte e comprar seu equipamento importado). Portanto, goste você ou não dos EUA, o seu esporte será impactado diretamente pelo resultado da eleição norte-americana.

Os escaladores norte-americanos, mais engajados em política e em contribuir com a comunidade, assim como músicos, artistas e líderes de minorias, parecem ter ideias claras: Trump foi uma aposta equivocada por quatro anos. A

A redução nas áreas dos parques pesou bastante neste julgamento de que Donald Trump é uma ameaça séria a todos os esportes outdoor. Agora, quem dá um passo a frente para engajar os norte-americanos foi Tommy Caldwell, que nos EUA representa a “escalada” no imaginário coletivo.

Tommy Caldwell escreveu um artigo contundente para a Revista Rock & Ice no qual declara logo no título: Trump vai destruir a escalada (Trump is Going to Ruin Rock Climbing). Nele, o escalador norte-americano é bem direto e explícito quando ao que pensa do presidente de seu país. Além disso analisa e explica porque este é o momento de toda e qualquer pessoa ir votar (nos EUA o voto é facultativo) e interromper os desmandos de Trump.

“Se deixarmos Trump seguir seu curso por mais quatro anos, as políticas anti-ambientais que seu governo está implementando durarão muito tempo.

Isso significa um retrocesso nas regulamentações de emissões, mais desenvolvimento de combustíveis fósseis em áreas públicas anteriormente protegidas e menos restrições ao monitoramento do ar e da água limpos.

Como isso afetará a escalada em rocha e a recreação outdoor? Bem, você já tentou escalar no meio de incêndios? (Sim, e isso não é engraçado.) No momento, o oeste americano está coberto pela fumaça dos incêndios florestais, um resultado direto de nossa mudança climática. A temporada de incêndios agora é mais longa e intensa.

Nos últimos anos, fui evacuado de minha casa no Colorado duas vezes devido à ameaça de incêndios. Como escalador, passo muito tempo pendurado nas paredes de granito desde Yosemite às Montanhas Rochosas. É a partir desses pontos de vista únicos que ganhei uma perspectiva sobre o que está acontecendo com nosso clima.

Eu vi um aumento na queda de rochas atribuídas ao aquecimento das temperaturas e observei as vias de escalada no inverno desaparecerem completamente devido ao degelo. Ouray, Colorado, um dos pontos de escalada no gelo mais famosos da América, está perdendo gelo rapidamente, o que pode tornar a escalada no gelo uma coisa do passado

(…)

Em novembro, votarei em Joe Biden para presidente e ex-governador John Hickenlooper na corrida para o Senado no Colorado. Biden foi um político voltado para as causas do clima antes de o termo ‘mudança climática’ ser vernáculo padrão.

Como senador por Delaware em 1986, Biden apresentou um dos primeiros projetos de lei sobre o clima no Congresso. Com Biden como presidente, os EUA terão como objetivo atingir 100% de energia limpa até 2050.

Seus planos de justiça ambiental e climática protegerão as comunidades marginalizadas de poluidores prejudiciais. Biden nos unirá. Se vamos enfrentar o clima, tem que ser um esforço global“.

O trecho acima faz parte da declaração de Tommy, que você pode ler na íntegra clicando em: https://rockandice.com

!function(f,b,e,v,n,t,s){if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};if(!f._fbq)f._fbq=n;
n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window,
document,’script’,’https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais