fbpx

Vettel correrá na Aston Martin, ex-Racing Point, em 2021

Alemão substituirá Sergio Pérez na escuderia da F1 que trocará de nome

O tetracampeão mundial Sebastian Vettel seguirá na Fórmula 1 na próxima temporada. Nesta quinta-feira (10), ele foi confirmado como piloto da Aston Martin, nome que a Racing Point adotará de 2021 em diante. O alemão substituirá o mexicano Sergio Pérez, que anunciou na quarta-feira (9) que não permaneceria na equipe.

“É um prazer, enfim, poder compartilhar essa notícia excitante sobre o meu futuro. É uma nova aventura, por uma equipe legendária. Estou impressionado com os resultados dela neste ano e acredito que o futuro é ainda mais brilhante. A energia e o comprometimento de Lawrence [Stroll, dono da Racing Point/Aston Martin] com o esporte é inspirador e acredito que podemos construir algo bem especial juntos”, declarou Vettel, em comunicado divulgado pela escuderia.

A temporada 2020 já seria a despedida do alemão da Ferrari, após a escuderia anunciar, em março, o espanhol Carlos Sainz, hoje na McLaren, como parceiro do monegasco Charles Leclerc a partir de 2021. Vettel chegou à equipe italiana em 2015, após quatro títulos mundiais pela Red Bull, e obteve dois vice-campeonatos (2017 e 2018), batido em ambos pelo piloto inglês Lewis Hamilton, da Mercedes. Na atual edição, ele vive o pior momento na Ferrari, na 13ª posição na classificação de pilotos, com 16 pontos, tendo um sexto lugar no Grande Prêmio da Hungria como melhor colocação.

“Todos em Silverstone [cidade britânica onde fica a sede da equipe] estão empolgados com a notícia. Sebastian é um campeão reconhecido e traz uma mentalidade vencedora, que coincide com nossa ambição para o futuro como Aston Martin. É um dos melhores do mundo e não consigo pensar em um piloto melhor para nos levar a essa nova era. Ele terá um papel significativo para levar esse time ao próximo nível”, destacou no comunicado o diretor-executivo da escuderia, Otmar Szafnauer‍.

Saída de Pérez

Na nova casa, o tetracampeão terá como parceiro Lance Stroll – filho de Lawrence, um dos proprietários da Racing Point/Aston Martin. Vettel substituirá Sergio Pérez, que, no ano passado, havia assinado contrato para três temporadas. Apesar de o diretor Szafnauer‍ ter dito à revista alemã AutoMotor Und Sport que o mexicano permaneceria na equipe, o próprio Pérez revelou o contrário.

Em nota nas redes sociais, o mexicano lembrou a chegada, há sete anos, quando a equipe tinha outro dono e se chamava Force India. Ele admitiu que a saída é “um pouco” dolorosa. “Apostei muito na equipe em momentos muito difíceis, mas conseguimos superar obstáculos e estou muito orgulhoso de ter salvado o trabalho de muitos de meus companheiros”, disse Pérez, fazendo referência à crise financeira vivida pela escuderia em 2018, que levou à compra pelo consórcio liderado por Lawrence Stroll.

Pérez competiu em seis das oito corridas da temporada 2020, perdendo duas, no período em que contraiu o novo coronavírus (covid-19) e precisou ficar afastado das pistas. Ele é o 11º na classificação, com 41 pontos. Lance Stroll, presente nas oito provas, está em quarto, com 57 pontos. O canadense chegou em terceiro no GP da Itália, no último domingo (6). Na edição 2019, a primeira da dupla pela Racing Point, Pérez ficou em 10º, com 52 pontos, enquanto Stroll foi o 15º, com 21 pontos.

Neste domingo (13), às 10h10 (horário de Brasília), Vettel e Pérez, ainda representando as atuais equipes, terão pela frente o GP da Toscana, no circuito de Mugello, a casa da Ferrari. A prova marca o milésimo GP da história da escuderia italiana na Fórmula 1.

Mudança de nome

A mudança de nome da Racing Point passa por Lawrence Stroll. Em janeiro, o milionário canadense comprou 16,7% das ações da Aston Martin. A fabricante, parceira da Red Bull nas últimas quatro temporadas, voltará ao grid como equipe pela primeira vez desde 1960. A escuderia competiu por duas temporadas e não somou pontos.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar

!function(f,b,e,v,n,t,s)
{if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};
if(!f._fbq)f._fbq=n;n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;
n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];
s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window, document,’script’,
‘https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
fbq(‘init’, ‘2641197072803735’);
fbq(‘track’, ‘PageView’);
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js#xfbml=1&version=v2.9&appId=205286206664408”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Motorshow

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!